Altura da chaminé do sistema de aquecimento

Para a altura da chaminé, tanto em condomínio como para residências particulares, é essencial não só o tipo de sistema, mas também o ano de instalação.

Altura da chaminé do sistema de aquecimento

Altezza canna fumaria

Quão alto um cano deve ser para ser considerado compatível e o proprietário da planta não pode ser sancionado?
Vale ressaltar que a pergunta pode ser respondida indiferentemente tanto que é um sistema de condomínio, no que se refere a plantas para uso exclusivo.
O dealtura da chaminé é um assunto que muitas vezes causa confusão: as leis sobre o assunto mudaram várias vezes, como por exemplo em agosto de 2013.
o diferentes mudan√ßas regulat√≥rias, √ļtil para adaptar as alturas das chamin√©s a novas necessidades, sempre foram mitigadas, em sua aplica√ß√£o, por uma considera√ß√£o pr√°tica: se as regras gradualmente emitidas tivessem afetado as existentes como fazem nas novas chamin√©s, muitos deles, no presente, devem ser considerados fora da lei e, portanto, precisam de interven√ß√Ķes sistem√°ticas.
Ent√£o, foi, de fato, por cerca de um ano, entre o 2012 e 2013.

Altura e saída acima do cume do telhado até 2012

Este é o regra de ouro No que se refere às chaminés colocadas ao serviço de sistemas de aquecimento: a descarga dos fumos de combustão deve ocorrer acima da cumeeira do telhado.
em resumo se um edif√≠cio √© composto por cinco andares, as chamin√©s devem descarregar acima do √ļltimo andar do edif√≠cio respeitando as alturas exigidas pelos regulamentos t√©cnicos em vigor no momento da sua constru√ß√£o.
Até 2012, a saída acima do telhado dizia respeito a todas as fábricas construídas após 1 de agosto de 1994 (cf. primeira formulação art. 5, nono parágrafo, d.p.r. n. 412/93).
De 2012 até agosto de 2013o art. 5, nono parágrafo, d.p.r. n. 412/93 recitou:

canna fumaria

As centrais t√©rmicas situadas em edif√≠cios constitu√≠dos por v√°rias unidades devem ser ligadas a chamin√©s, condutas ou sistemas especiais de evacua√ß√£o de produtos de combust√£o, com a sa√≠da acima do telhado do edif√≠cio √† altitude prescrita pelo regulamento t√©cnico em vigor, salvo disposi√ß√£o em contr√°rio. per√≠odo seguinte. Se voc√™ instalar geradores de calor a g√°s de condensa√ß√£o que, para desempenho de energia e emiss√Ķes em produtos de combust√£o, pertencem √† classe de energia eficiente, mais eficiente e menos poluente, fornecida pela norma t√©cnica relevante UNI EN 297 e / o UNI EN 483 e / ou UNI EN 15502, o posicionamento dos terminais de tiragem ocorre em conformidade com a norma t√©cnica UNI 7129 atual e subsequentes adi√ß√Ķes.
A regra deixou sem d√ļvida: toda vez que a refer√™ncia desapareceu, todas as plantas, embora j√° existentes, deveriam ter a chamin√© com sa√≠da sobre o telhado do pr√©dio, exceto nos casos previstos especificamente pela mesma norma.
Céu aberto! Alguns diriam: o padrão assim formulado envolvia basicamente todas as plantas construídas no início dos anos noventa e acima de tudo impunham regulamentos sobre os corpos que controlavam o funcionamento das próprias plantas.

Tomada acima do telhado de 2012

O chamado decreto de fazer Ele interveio para mudar uma situação que, na verdade, estava criando mais do que alguns maus modos.
assim, no presente, o art. 5, nono parágrafo, d.p.r. n. 412/93 lê:
Os sistemas de aquecimento instalados após 31 de agosto de 2013 devem ser conectados a chaminés especiais, chaminés ou sistemas para a evacuação de produtos de combustão, com a saída acima do telhado do edifício na altitude prescrita pelos regulamentos técnicos atuais.
Em qualquer caso, est√£o previstas exce√ß√Ķes √† regra geral.
Estabelecer os par√°grafos subseq√ľentes 9-bis e 9-ter do mesmo art. 5 que dizia:
√Č poss√≠vel derrogar as disposi√ß√Ķes da subse√ß√£o 9 nos casos em que:
a) proceda, tamb√©m no √Ęmbito de uma moderniza√ß√£o energ√©tica do sistema t√©rmico, √† substitui√ß√£o dos geradores de calor individuais instalados na data anterior √† referida no n.¬ļ 9, por um tubo de drenagem mural ou cano coletivo ramificado;
b) O cumprimento da obriga√ß√£o referida no n.¬ļ 9 √© incompat√≠vel com as regras de protec√ß√£o dos edif√≠cios sujeitos a interven√ß√£o, adoptadas a n√≠vel nacional, regional ou municipal;
c) o projetista certifica e afirma a impossibilidade técnica de realizar a saída acima da cumeeira do telhado.
Nos casos referidos no ponto 9-bis, √© obrigat√≥rio instalar geradores de calor a g√°s que, para o desempenho energ√©tico e as emiss√Ķes, perten√ßam √†s classes 4 e 5 previstas nas normas UNI EN 297, UNI EN 483 e UNI EN 15502, e posicionar o projecto de terminais em conformidade com a norma t√©cnica UNI 7129 actual e subsequentes aditamentos.
Em suma para o instala√ß√Ķes instaladas antes de 2013 que n√£o tinha a descarga do barril sobre a cumeeira porque a lei n√£o exigia isso, n√£o h√° mais nenhuma obriga√ß√£o de faz√™-lo.
N√£o s√≥: a instala√ß√£o com sa√≠da acima do telhado tamb√©m pode ser renunciada em todos os casos em que, mesmo para uma nova planta, √© imposs√≠vel cumprir as disposi√ß√Ķes do par√°grafo nono acima mencionado.



V√≠deo: ADAPTA√á√ÉO EFETUADA P/ UTILIZA√á√ÉO DE UM AQUECEDOR A G√ĀS.