Sistema de Aquecimento Central, Obrigações

A lenta e controversa evolução legislativa e legislativa entre os níveis regional e nacional deixa dúvidas sobre as usinas centralizadas.

Sistema de Aquecimento Central, Obrigações

Desenvolvimentos legislativos e legislativos, muitas vezes controversos entre os níveis regional e nacional, em torno de contenção das despesas energéticas em edifícios, levantou muitas dúvidas sobre vários tópicos, incluindo a obrigação ou não da construção de sistemas de aquecimento centralizado para edifícios condominiais recém-construídos ou sujeitos a reestruturação.

valor limite central térmico

Com o último D.P.R. relativa à contenção da despesa de energia em edifícios, n. 59 de 2009, não há obrigatoriedade de realização do sistemas de aquecimento centralizado para novos condomínios e aqueles existentes e sujeitos a reformas.
Precisamente oartigo n. 4 da D.P.R. 59/09 especifica que, para todos os edifícios existentes com um número de unidades habitacionais acima de 4 e com saída de calor do gerador de calor do sistema centralizado 100 kW é preferível à manutenção dos mesmos sistemas centralizados; o eventual recurso a sistemas autônomos, em lugar do centralizado, deve ser forçado por razões técnicas ou de força maior, justificadas por um laudo técnico específico feito por técnico habilitado.

Obrigação reguladora ligada ao aquecimento centralizado

O D.P.R. 59/09 também afirma que, para os mesmos edifícios descritos acima, em caso de renovação dos sistemas de aquecimento é necessário adotar sistemas de termorregulação e contabilidade calor para cada unidade individual; a impossibilidade de adotar tais sistemas deve ser, por motivos técnicos ou de força maior, justificada por um relatório técnico específico de um técnico qualificado.
Em todos os casos de nova construção ou renovação de edifícios públicos, ou usado para uso público, eu devo ser respeitado Valores-limite para o consumo de energia previsto pelo anexo C do decreto legislativo 192/05 reduzido em 10%, com o mesmo decreto que dá indicações sobre os valores mínimos necessários para o rendimento sazonal global médio; Há também a obrigação de construir sistemas de aquecimento e quaisquer sistemas centralizados de ar condicionado.

Itália

O D.P.R. finalmente especifica que as indicações e obrigações acima se aplicam em todas as regiões que não emitiram o seu próprio regulamento de confinamento das despesas energéticas em edifícios.
Todas as regiões e as províncias autónomas, que tomaram medidas para adoptar as suas próprias medidas, são exortadas a um alinhamento com a legislação nacional em um tempo que não foi definido.

Decretos de Contenção de Despesas Energéticas

As principais referências legislativas em relação à contenção do gasto energético dos edifícios são:
Directiva 2001/91 / CE
Decreto Legislativo 192/05
Decreto Legislativo 311/06
Decreto presidencial 59/09 (primeiro decreto de execução do Decreto Legislativo 192/05)
D.M. 26/06/2009 (2.º decreto de execução do Decreto Legislativo n.º 192/05)
Aguardamos com expectativa o 3º Decreto de Execução do Decreto Legislativo 192/05 e duas outras medidas de implementação do D.P.R. 59/09 para o qual ainda não foi definida a data de emissão.



Vídeo: Calefação como ligar - diversos modelos