Guias atualizados para as notícias de 2019 sobre a dedução de 50% e 65%

A Revenue Agency atualizou os guias on-line sobre deduções fiscais em casa, a dedução de 50% para a renovação e 65% para a remodelação.

Guias atualizados para as notícias de 2019 sobre a dedução de 50% e 65%

Dedução de 50% e 65%: guias fiscais

dedução 50 65

Seguindo as inovações introduzidas por Lei de Estabilidade 2015 (A Lei nº 190/2014), a Revenue Agency atualizou os guias fiscais, disponíveis on-line no site institucional da mesma administração financeira, sobre as deduções fiscais da casa, o bônus de IRPEF para intervenções renovação de edifícios e que para o economia de energia.
Vamos ver essas inovações em resumo.

Dedução para medidas de redesenvolvimento energético de 65% até 31.12.2015

A partir da dedução fiscal para intervenções de redesenvolvimento de energia dos edifícios, a Lei de Estabilidade de 2015 estendeu o bônus ao máximo 65% para todas as despesas incorridas a partir de 1 de janeiro de 2015 até 31 de dezembro de 2015, também para as intervenções nas partes comuns dos edifícios do condomínio e para aqueles relativos a todas as unidades imobiliárias de que o condomínio único é composto.

A partir de 1 de janeiro de 2016, a medida de bonificação cairá para 36%, conforme previsto para a construção de custos de renovação.

Intervenções permitidas para dedução 65%

A Lei de Estabilidade de 2015 também estendeu essa facilidade para 65% em todo o ano de 2015 para outros tipos de intervenções, como a compra e instalação de protetores solares e instalações de ar condicionado inverno equipado com geradores de calor movidos a combustíveis de biomassa, com novos limites máximos de gastos, respectivamente 60 mil e 30 mil euros.
Resumindo a partir de 1 de janeiro de 2015, as intervenções de redesenvolvimento de energia com as quais você pode se beneficiar do bônus de 65% são:
- requalificação energética de edifícios existentes: despesas máximas de 100.000 euros;
- envelope do edifício (paredes, janelas, telhado): despesa máxima 60.000 euros;
- instalação de painéis solares: despesas máximas de 60.000 euros;
- substituição do sistema de climatização de inverno: despesa máxima de 30.000 euros;
- compra e instalação de sombreamento solar: despesas máximas de 60.000 euros;
-compra e instalação de sistemas de ar condicionado inverterequipado com geradores de calor alimentados por biomassa combustível: despesas máximas de 30.000 euros.

Dedução de 65% e trabalho plurianual: interromper a comunicação

dedução 50 65

No Guia da Receita, há outra alteração introduzida desta vez pelo decreto sobre simplificação fiscal (Decreto Legislativo 21 de novembro de 2014, n.º 175) que, no artigo 12.º, eliminou a obrigação de enviar a comunicação à Agência Receita de obras que continuam por vários períodos de tributação.
Contribuintes com prazo de apuração coincidente com o ano calendário, portanto, não terão mais que enviar qualquer comunicação para as despesas incorridas em 2014, em relação às obras que continuarão em 2015.

Dedução de 50% para trabalhos de renovação de edifícios até 31.12.2015

A dedução fiscal de despesas para renovação de edifícios, regido pelo art. 16-bis do Decreto Presidencial 917/86 (Lei Consolidada do Imposto de Renda), com a Lei de Estabilidade de 2015, continuará a ser de até 50% para despesas incorridas até 31 de dezembro de 2015, com um limite máximo de gastos de 96 mil euros para unidades imobiliárias.
A partir de 1 de janeiro de 2016, a dedução para reestruturação voltará aos 36% ordinários e com o limite de 48.000 euros por unidade imobiliária.

Anti-sísmica: dedução de 65% até 31.12.2015

É também prevista uma dedução adicional para as despesas incorridas com intervenções para a adoção de medidas anti-sísmicas, em edifícios que se enquadram em áreas sísmicas de alto risco. É deduzida uma dedução de 65% das despesas realizadas entre 4 de agosto de 2013 e 31 de dezembro de 2015.

Bônus para celular: extensão para 2015

A Lei de Estabilização de 2015 também estendeu a dedução de 50% da IRPEF para a compra de móveis e eletrodomésticos de grande porte de classe não inferior a A + (A para fornos), para mobiliar os edifícios que estão sendo reestruturados, o chamado bônus móveis.

Compra de compra de dedução para uso residencial

dedução 50 e 65 3

Outra novidade prevista pela Lei de Estabilidade de 2015, que também inclui o guia atualizado da Revenue Agency, diz respeito à dedução de 50% da IRPEF até 31 de dezembro de 2015 para a compra de edifícios, para uso residencial, renovada.
O mecanismo aplica-se a medidas de reestruturação envolvendo edifícios inteiros, executados por empresas de construção ou renovações de propriedade e cooperativas de construção que devem fornecer, dentro de 18 meses (antes de 6 meses) a partir da data de conclusão das obras, para a subsequente venda ou atribuição do edifício.

Retenção sobre transferências bancárias de 4% para 8%

Finalmente, como parte do resumo das notícias sobre deduções fiscais para o lar, deve-se notar que, tanto no caso de reestruturação e requalificação de energia, a partir de 1 de janeiro de 2015, como resultado da Lei no. 190 de 2014, o considerado nas transferências que os bancos ou os Correios operam no momento do pagamento das despesas relativas às intervenções realizadas, aumenta de 4% para 8%.



Vídeo: