Guia para a conta de energia

Publicado pelo GSE um guia √ļtil para a conta de energia para ajudar na solicita√ß√£o de incentivos.

Guia para a conta de energia

o Gerente de Servi√ßos de Energia, em colabora√ß√£o comAutoridade para eletricidade e g√°s Publica periodicamente um guia √ļtil para a conta de energia, uma ferramenta indispens√°vel para todos os usu√°rios que desejam construir um sistema fotovoltaico e solicitar os incentivos fornecidos pela conta de energia.

Guia para a conta de energia

A √ļltima edi√ß√£o, atualizada em Mar√ßo de 2010, √© o quarto, e leva em considera√ß√£o todas as mudan√ßas que ocorreram no n√≠vel regulat√≥rio, seguindo a Lei do Desenvolvimento 99/2009 e do Resolu√ß√£o AEEG ARG / elt 186/2009 e informa as taxas de incentivo atualizadas para 2010.
A Lei do Desenvolvimento 99/2009 introduziu algumas inova√ß√Ķes interessantes para promover o desenvolvimento de energia renov√°vel na It√°lia.
Disp√Ķe, por exemplo, que Munic√≠pios com mais de 20 mil habitantes, para suas instala√ß√Ķes acima de 200 kW, podem solicitar o servi√ßo de troca no local, sem haver qualquer coincid√™ncia entre o ponto de entrada e o ponto de partida.
As mesmas regras se aplicam ao Ministério da Defesa, que no entanto também pode ser usado para sistemas acima de 200 kW.
A novidade mais importante introduzida pela resolu√ß√£o AEEG ARG / ELT 186/2009, no entanto, diz respeito aos usu√°rios do interc√Ęmbio no local, que poder√° solicitar ao GSE cr√©dito monet√°rio amadureceu no final do ano.
O guia, dividido em cinquenta páginas, é dividido em duas partes. O primeiro diz respeito ao Decreto de 19 de fevereiro de 2007 e, portanto, os aspectos regulatórios atualmente em vigor para o acesso a incentivos. A segunda, no entanto, está ligada aos aspectos mais técnicos relativos à tecnologia fotovoltaica.
No final, também está contido um lucro glossário.
Mas, entre os aspectos mais interessantes contidos no Guia, h√° uma s√©rie de indica√ß√Ķes sobre o erros n√£o cometidos na apresenta√ß√£o dos pedidos de obten√ß√£o de incentivos e que, em vez disso, s√£o bastante frequentes.
Muito importante √© a se√ß√£o que fornece informa√ß√Ķes claras sobre o declara√ß√£o de imposto do investimento, a partir dos custos de instala√ß√£o, passando ent√£o para as receitas e sem negligenciar os aspectos relativos √† cobertura financeira e ao regime tribut√°rio a ser adotado.



Vídeo: Guia Restituição ICMS da Conta de Energia Elétrica - Como Fazer a Restituição de ICMS