As diretrizes da ENEA para o b√īnus de condom√≠nio 2019

Publicou o guia ENEA para o redesenvolvimento energético de condomínios com uma dedução de 70% e 75%. O envio da documentação é possível a partir de 15 de setembro

As diretrizes da ENEA para o b√īnus de condom√≠nio 2019

Condomínios de peças e redesenvolvimento de energia

Guia condomínios Enobus ecobonus

N√≥s todos sabemos como o nosso √© patrim√īnio urbano, constru√≠da entre os anos 60 e 70 do s√©culo passado, al√©m de ser ampliada, requer uma recupera√ß√£o decisiva e um melhoramento energ√©tico.
Há alguns anos, os governos vêm tentando atender a essas necessidades por meio de incentivos fiscais que incentivam iniciativas privadas.
As áreas que se beneficiam dessas iniciativas são variadas: a economia do consumo da terra, o apoio ao mercado imobiliário e as empresas de construção, a economia de energia, os bolsos dos cidadãos, etc.
Os tipos de subs√≠dios s√£o essencialmente dois: as dedu√ß√Ķes em 50% para as interven√ß√Ķes de recupera√ß√£o e as dedu√ß√Ķes em 65% para o reacondicionamento de energia.
Para 2017, duas not√≠cias importantes no dom√≠nio das dedu√ß√Ķes para a renova√ß√£o de energia em condom√≠nios, no que nos diz respeito, s√£o: uma previs√£o temporal muito mais extensa que as anteriores, ou seja, n√£o mais que um ano, mas cinco; de facto, as despesas incorridas a partir de 1 de Janeiro s√£o dedut√≠veis 2017 em 31 de dezembro 2021. Al√©m disso, em alguns casos, as dedu√ß√Ķes foram aumentadas para 70% e ai 75%.
Especificamente, estes √ļltimos foram introduzidos com a Lei Or√ßamental para 2017, ou seja, com o art. 1, co.2, letra A da Lei 232/2016, que alterou para o art. 14, D.L. 63/2013.

Recondicionamentos de energia: dedu√ß√Ķes de 70% e 75%

Quanto aos condom√≠nios, a dedu√ß√£o de 70% e 75% foi adicionada √† j√° existente dedu√ß√£o de 65% este ano. condi√ß√Ķes.
A partir deste ano e até 2021 temos, portanto, a possibilidade de deduzir a 70% despesas com a requalificação energética de partes comuns dos edifícios do condomínio, desde que sejaminvólucro do edifício com uma incidência superior a 25% da superfície de dispersão bruta do edifício.
Enquanto a dedu√ß√£o sobe para o 75% para interven√ß√Ķes destinadas a melhorar o desempenho energ√©tico do inverno e do ver√£o e alcan√ßar pelo qualidade m√©dia conforme Decreto Ministerial do Minist√©rio do Desenvolvimento Econ√īmico de 26 de junho de 2015; decreto direito

Adapta√ß√£o do Decreto do Ministro do Desenvolvimento Econ√īmico, 26 de junho de 2009 - Diretrizes nacionais para a certifica√ß√£o energ√©tica de edif√≠cios D.M. 2015/06/26..

Reiteramos que a facilitação em questão só é possível para mim condomínios.

Condomínios de reabilitação de energia da Giuda ENEA em 70% e 75%

Dedu√ß√Ķes para redesenvolvimento de energia

A ENEA publicou o guiar (atualizado a 10 de julho) 2017 para dedu√ß√Ķes a 70% e 75% em condom√≠nios.
Naturalmente, nos referimos à leitura completa do guia (e de todo o site dedicado à dedução em questão e às regras relativas), enquanto aqui relatamos um breve resumo.
O guia começa com a premissa de que eles podem tirar proveito da dedução:

‚ÄĘ aqueles que apoiam custos de redesenvolvimento de energia;
‚ÄĘ os titulares das unidades imobili√°rias que constituem o edif√≠cio em ordem com o pagamento dos impostos antecipados; Dedu√ß√Ķes Vademecum ENEA 70% e 75%.

Al√©m disso, recorde-se que todos os contribuintes podem, em vez de dedu√ß√Ķes, optar pela cess√£o de cr√©dito.
As dedu√ß√Ķes devem ser calculadas sobre um montante total de despesas que n√£o exceda ‚ā¨ 40.000 para cada unidade imobili√°ria.
A propriedade, a pedido da dedução, deve resultar existente (deve, por outras palavras, ser empilhado ou com um pedido de registo em curso) e deve estar equipado com um sistema de aquecimento (conforme definido no Decreto Legislativo 192/05, o Decreto que implementa a Directiva 2002/91 / CE relativa à eficiência energética na Europa). 'edifício.

Dedu√ß√£o de 70% e 75%, requisitos t√©cnicos espec√≠ficos para interven√ß√Ķes

Upgrades de energia 70 e 75

O Vademecum indica que eu requisitos técnicos específica da intervenção, nomeadamente: deve ser tratada partes comuns (nos termos do artigo 1117 do Código Civil) que delimitam a

volume aquecido para o exterior e / ou salas sem aquecimento e / ou o END Vademecum ch√£o 70% e dedu√ß√Ķes de 75%

e deve cobrir mais de 25% da superfície de dispersão; a intervenção deve fazer uma substituição ou uma modificação do que já existe e, portanto, não resultar como

nova realiza√ß√£o no alargamento Vademecum Dedu√ß√Ķes ENEA 70% e 75%

s√≥ pode referir-se a pe√ßas com valores de transmit√Ęncia t√©rmica (U) superiores aos indicados

na tabela 2 do anexo B a D.M. 11 de março de 2008, conforme emendado pelo D.M. 26 de janeiro de 2010. Dedução Vade-Meca ENEA 70% e 75%

A intervenção também pode dizer respeito, se os trabalhos são realizados em conjunto, substituição de equipamentos e a instalação de protetores solares desde que incluídos no relatório técnico e colocados nas mesmas estruturas externas em que a intervenção é realizada
Para o sombreamento solar, o guia refere-se √†s indica√ß√Ķes fornecidas no Vademecum dedicado ao sombreamento solar, que deve ser respeitado.
Finalmente, para interven√ß√Ķes com uma dedu√ß√£o de 75% (com refer√™ncia √†s tabelas 3 e 4 do "decreto de diretrizes"), o guia prev√™ que a envolvente do edif√≠cio, a montante da interven√ß√£o, deve ter uma qualidade baixa, tanto em Em termos de desempenho energ√©tico de inverno no ver√£o, al√©m disso, as leis e regulamenta√ß√Ķes nacionais e locais relativas √† seguran√ßa e efici√™ncia energ√©tica devem ser respeitadas.

Documentação para enviar e manter

A documentação de enviar de acordo com o guia é:
- ficha técnica escrito por um técnico qualificado;
- cartão descritivo intervenção.
Estes documentos devem ser enviados (exceto em casos especiais) dentro de 90 dias a partir do final dos trabalhos, on-line através do site dedicado pela ENEA ano após ano.
Além disso, há documentação de salvaristo é, antes de mais nadadeclaração escrito por um técnico qualificado.

Condomínio e ecobonus


O guia indica tudo as declara√ß√Ķes que a assevera√ß√£o deve fornecer, isto √©, em resumo:
- a declaração de que a intervenção diz respeito a parte de condomínios e que tem uma incidência superior a 25% da superfície de dispersão do edifício;
- os valores das transmit√Ęncias t√©rmicas dos elementos estruturais antigos;
- os valores das transmitências térmicas dos novos elementos estruturais;
- verificação de que os valores de transmissão dos novos elementos estruturais cumprem os limites estabelecidos no quadro 2, D.M. 26 de janeiro de 2010;
- os valores de gtot caso os pain√©is solares estejam instalados; para interven√ß√Ķes do tipo b), com refer√™ncia aos quadros 3 e 4 do diretrizes decreto;
- a declara√ß√£o de que a envolvente de todo o edif√≠cio, para o desempenho energ√©tico do Inverno e do Ver√£o, tem baixa qualidade antes das interven√ß√Ķes e que, como resultado deste √ļltimo, alcan√ßou pelo menos a qualidade m√©dia para ambos os desempenhos.

Envio de documentação on-line para condomínios ecobonus


A assevera√ß√£o tamb√©m deve conter a declara√ß√£o de que as opera√ß√Ķes cumprem as leis e regulamentos de seguran√ßa e efici√™ncia energ√©tica.
o outros documentos para ser preservado s√£o:
- cópia do certificados de desempenho energético (APE) de todo o edifício;
- uma cópia dos certificados de desempenho energético (APE) de cada unidade de construção individual;
- cópia dos relatórios técnicos necessários (em conformidade com o artigo 8, parágrafo 1, do Decreto Legislativo 192/2005);
- original do anexos enviados ENEA devidamente assinado); folhas técnicas de materiais e componentes.
Além disso, os seguintes documentos também devem ser mantidos:
‚ÄĘ faturas pagamento de despesas;
‚ÄĘ resolu√ß√£o (condomniale) pela aprova√ß√£o da execu√ß√£o das obras e a tabela mil√©sima da distribui√ß√£o das despesas;
‚ÄĘ recebimento do transfer√™ncia banco ou poste indicando claramente a refer√™ncia √† lei financeira de 2007, o n√ļmero e a data da fatura, os dados da pessoa que solicita a dedu√ß√£o (com c√≥digo de imposto) e os dados do benefici√°rio da transfer√™ncia banc√°ria (com n√ļmero ou c√≥digo de IVA) impostos);
‚ÄĘ recibo envio para ENEA (c√≥digo CPID); no caso de entrega postal, recibo de carta registrada.
No site da ENEA também está especificado que será possível enviar a documentação (do mesmo site) a partir de 15 de setembro de 2017.



Vídeo: