Conjunto gerador em condomínio e prevenção de incêndios

A instalação de um grupo gerador deve seguir regras muito precisas e pode estar sujeita a regulamentações de prevenção de incêndios.

Conjunto gerador em condomínio e prevenção de incêndios

Gruppo

o Decreto presidencial n. 151/2011 inovou, com o objetivo de racionalizar, simplificar, o tema das atividades sujeitas à chamada disciplina do prevenção de incêndios. Basicamente agora a atividade é avaliada de acordo com o tipo específico e em consideração a isso, o procedimento administrativo é especificado (por exemplo, simples Scia), que deve ser seguido antes de iniciar a planta ou iniciar a atividade. Em nosso artigo Decreto Presidencial 151/2011, novos regulamentos contra incêndios Especificamos melhor as inovações introduzidas pelo decreto presidencial. Abaixo nós tomamos uma sugestão a uma pergunta que foi feita por um de nossos leitores para dar indicações gerais sobre como orientar em casos semelhantes. o demanda é o seguinte: A assembléia do condomínio decidiu instalar um grupo gerador operado manualmente em uma sala de condomínio para abastecer duas bombas elétricas usadas para bombear a água que poderia inundar os poços em caso de chuva excessiva Minha pergunta é: quais obrigações é obrigado a respeitar o condomínio em face desta nova instalação, o trabalho deve ser certificado por um técnico qualificado? Deve ser feita comunicação para VVFFs? A resposta é articulada; vamos ver porque. Primeiro de tudo, devemos avalie o local onde você decidiu instalar o grupo gerador; de fato, se a sala tiver outro destino, a decisão deve ser adotada com as maiorias previstas para o inovações Não cumprimento das quorum deliberativo envolve a possibilidade de tomar medidas legais para obter a anulação da resolução. Com uma maioria respeitada é necessário verificar se é ou não uma questão inovação proibida. Em essência você não pode continuar com esta instalação se a inovação prejudica a segurança e estabilidade do edifício, se altera o decoro do edifício ou diminui o aproveitamento das áreas comuns mesmo para um dos condomínios. Assim, a decisão seria considerada nada porque é contrária a uma lei (art. 1120, segundo parágrafo, c.). Se não fosse inovaçãoporque, por exemplo, a sala já está destinada a abrigar usinas ou partes da usina de propriedade conjunta, somente os quóruns deliberativos previstos para as extraordinárias obras de manutenção devem ser respeitados. Exausto cheques do ponto de vista do condomínio, é necessário passar ao administrativo.

Gruppo2

De acordo com o d.p.r. n. 151/2011 estão sujeitos à legislação destinada a obter o certificado de prevenção de incêndio: Atividades 49.1.A: Grupos para a produção de eletricidade subsidiária com motores endotérmicos e usinas de cogeração com potência total de 25 a 350 kW Atividades 49.2.B: Grupos para a produção de energia elétrica subsidiária com motores de combustão interna e plantas de cogeração com potência total de 350 a 700 kW Atividades 49.3.C: Grupos para a produção de eletricidade subsidiária com motores endotérmicos e usinas de cogeração com potência total> 700 kW O poder indica os diferentes obrigações administrativas para se referir. Assim, por exemplo, para a atividade 49.1.A simples é suficiente SCIA antes do comissionamento. Será então necessário cumprir as disposições do D.M. n. 37/08 na instalação de sistemas no interior de edifícios. É aconselhável, pelo provável tecnicismo dos passos a serem respeitados, a ser seguido por um especialista no campo.
adv. Alessandro Gallucci



Vídeo: AVCB l Auto Vistoria do Corpo de Bombeiros l A V C B l São Paulo l Renovação AVCB l Cajamar