Fundo para aqueles que assistem familiares doentes e idosos: o cuidador

Com a Lei Orçamentária 2019, é reconhecido um fundo para o atendimento de idosos e pessoas doentes; cobertura financeira para apoiar a atividade do cuidador.

Fundo para aqueles que assistem familiares doentes e idosos: o cuidador

Fundo para cuidador familiar

Com um emenda um Lei Orçamentária 2018, publicado no Diário Oficial em 29 de dezembro, um fundo é criado no Ministério do Trabalho e Políticas Sociais auxilia família idosos ou gravemente doentes.
√Č isso que a legisla√ß√£o define fundo para o apoio do t√≠tulo de assist√™ncia e assist√™ncia do cuidador familiar.
Com a emenda assinada por Laura Bignami e aprovada por unanimidade, o papel do cuidador familiar é oficialmente reconhecido, a figura dedicada à assistência aos idosos que não são auto-suficientes, doentee para pessoas com deficiência, em casa e de uma maneira não profissional.
Quer√≠amos, portanto, reconhecer a import√Ęncia do papel desempenhado por aqueles que, a longo prazo, cuidam de seus entes queridos, incapacitados ou portadores de doen√ßas cr√īnicas e degenerativas.

Apoio financeiro para cuidadores


o equipamento disponibilizado atrav√©s do fundo √© de 20.000 euros para os anos de 2018, 2019 e 2020; em geral estamos enfrentando 60.000 euros, destinado a fornecer um cobertura financeira para interven√ß√Ķes legislativas objetivou o reconhecimento do valor social e econ√īmico da atividade de cuidado realizada pelo cuidador familiar.
Esta é uma figura que, se aparentemente parece congruente, é na verdade bastante ridícula se levarmos em conta a vasta audiência de pessoas que todos os dias e a tempo inteiro cuidam dos idosos e dos deficientes.
Após a aprovação do fundo de assistência, que foi finalizado com a Lei Orçamental, será tarefa do Ministério do Trabalho, no prazo de 90 dias a partir da entrada em vigor, definir, através de decreto de implementação, as modalidades reais e as medidas de apoio em favor daqueles que assistem pessoas idosas, deficientes ou doentes.
o reconhecimento formal certamente foi um primeiro passo fundamental, mas ser√° ainda mais necess√°rio torn√°-los concretos medidas planejado, especialmente levando-se em conta as situa√ß√Ķes mais s√©rias e dif√≠ceis enfrentadas por muitas pessoas.
Estar ao lado de uma pessoa idosa ou doente √© uma tarefa que pode absorver toda a sua energia at√© que a sa√ļde fique comprometida.
Diante da nova legisla√ß√£o, a It√°lia deixar√° de ser um dos pa√≠ses da Uni√£o Europeia para ficar sem legisla√ß√£o espec√≠fica nesta √°rea. L 'It√°lia Assim, ser√° capaz de se alinhar com pa√≠ses como Espanha, Fran√ßa, Gr√£-Bretanha, Rom√™nia, Pol√īnia ou Gr√©cia, onde por algum tempo aqueles que auxiliam seus entes queridos recebem prote√ß√Ķes. Familiares, geralmente mulheres, que at√© hoje realizaram uma atividade di√°ria quase invis√≠vel em n√≠vel social.
Abaixo nós fornecemos mais detalhes esclarecer o que estava previsto com a alteração à Lei Orçamental de 2018 e quais são as medidas introduzidas.
Embora ainda seja uma norma que não altera a legislação vigente, abre caminho para importantes iniciativas e mudanças em relação aos cuidadores familiares.

Idosos em casa: quem é o cuidador familiar

Quem √© o cuidadores fam√≠lia, qual o texto da Lei Or√ßament√°ria, quais s√£o as pessoas assistidas que se enquadram no √Ęmbito da legisla√ß√£o e que medidas est√£o previstas para o familiar?

Cuidadores familiares


o cuidador familiar ele é uma pessoa que ele participa voluntariamente e diariamente um parente não auto-suficiente. Ele cuida do cuidados primários da pessoa necessitada que não é capaz de se sustentar, como lavar, vestir, cozinhar.
Al√©m disso, constantemente verifique o idoso ou a pessoa doente evitando que ele entre em situa√ß√Ķes perigosas e esteja interessado em todos eles pr√°ticas administrativas em rela√ß√£o √† sua pessoa com defici√™ncia.
H√° muitas situa√ß√Ķes complicadas para lidar diariamente com muitas raz√Ķes de ansiedade, preocupa√ß√£o e sentimento de inadequa√ß√£o.
A nova legisla√ß√£o foi projetada para dar voz a essas m√ļltiplas necessidades. Vamos ver o que √© isso.
Artigo 30 bis, parágrafo 2 doemenda um lei de orçamento afirma que:

Um cuidador familiar √© definido como a pessoa que assiste e cuida do c√īnjuge, de uma das partes da uni√£o civil entre pessoas do mesmo sexo ou do parceiro que coabita de acordo com a lei 10 de maio de 2016, n. 76, de um familiar de semelhante de segundo grau, ou somente nos casos previstos no artigo 33, par√°grafo 3¬ļ, da lei de 5 de fevereiro de 1992, n. 104, mesmo de um membro da fam√≠lia dentro do terceiro grau, que devido a doen√ßa, enfermidade ou mesmo cr√īnica ou degenerativa, n√£o √© auto-suficiente e capaz de cuidar de si mesmo, √© reconhecido como necessitado de assist√™ncia global e cont√≠nua a longo prazo cont√≠nua em conformidade com o artigo 3, par√°grafo 3, da Lei de 5 de fevereiro de 1992, n. 194, ou √© titular do subs√≠dio de freq√ľ√™ncia de acordo com a lei de 11 de fevereiro de 1980, n. 18. Par√°grafo 2¬ļ, Artigo 30 bis da Lei Or√ßament√°ria

De acordo com a lei, os benefici√°rios do apoio e as medidas financiadas pelo fundo para o cuidador familiar s√£o aqueles que s√£o eles cuidam qualquer pessoas abaixo indicado:
- o c√īnjuge;
- a outra parte da uni√£o civil entre pessoas do mesmo sexo;
- o coabitante de facto de acordo com a lei 10 de maio de 2016, n. 76;
- um semelhante dentro do segundo grau (incluindo os sobrinhos);
- nos casos referidos no art. 33 par√°grafo 3 da Lei 104/92, um membro da fam√≠lia dentro do terceiro grau que como resultado de enfermidade, enfermidade (tamb√©m cr√īnica ou degenerativa) n√£o √© auto-suficiente e capaz de cuidar de si mesmo;
- um membro da família reconhecido como inválido e que necessite de assistência abrangente e contínua, de acordo com o artigo 3, parágrafo 3 da Lei 104/92 ou titular de subsídios de acompanhamento, de acordo com a lei de 11 de fevereiro de 1980, n. 18.
Isso não significa que todas as pessoas assistidas pela Lei 104/92 terão o mesmo tratamento. Futuras leis serão necessárias para definir os requisitos de acesso a benefícios e os limites de aplicação da legislação.

Cuidador familiar: reformas futuras

H√° tr√™s projetos de lei para a aten√ß√£o dos parlamentares que devem dar origem a um √ļnico texto capaz de regular o assunto relativo ao apoio daqueles que realizam cuidados domicili√°rios para seus parentes.
Ainda há muito a ser feito e fundo de assistência idoso é apenas um ponto de partida.
Eles ser√£o os pr√≥ximos interven√ß√Ķes legislativas fornecer oportunamente, mesmo para evitar abusos, aqueles que ser√£o as √°reas de utiliza√ß√£o do fundo e eu direitos do cuidador familiar.

Cuidados domicili√°rios idosos


Entre os medidas no quintal:
- b√īnus desabilitado de 1900 euros para ser distribu√≠do como reembolso despesa para aqueles que ajudam uma fam√≠lia com mais de 80 anos;
- b√īnus desativado na forma de dedu√ß√£o fiscal para aqueles que assistem um membro da fam√≠lia com defici√™ncia, com idade de oitenta anos ou mais pelo terceiro grau de parentesco;
mais medidas eles visam facilitar o acesso ao trabalho que √© muito dif√≠cil para aqueles com um membro da fam√≠lia com defici√™ncia. Pense naquelas prote√ß√Ķes que lhe permitem reconhecer o valor e o esfor√ßo de cuidar de um membro da fam√≠lia, ao mesmo tempo em que desenvolve seu pr√≥prio atividade de trabalho:
- possibilidade de trabalho tempo parcial ou em modo de teletrabalho a fim de permitir que o cuidador concilie as necessidades de trabalho com as de cuidado e assistência do familiar;
- incentivos para o empregador de trabalhar no caso de contratar um cuidador;
- acesso amacaco companhia para os trabalhadores que assumem o papel de cuidador;
- novo contribui√ß√Ķes para a seguran√ßa social figurativo para aposentadoria;
- proteção para doenças e seguro do cuidador;
- férias de férias para cuidadores;
- autoriza√ß√Ķes de trabalho nos termos da Lei 104/92, para permitir que o cuidador familiar concilie o trabalho com a assist√™ncia de pessoas idosas;
- dedu√ß√£o de 50% do despesas de sa√ļde incorridos para o membro da fam√≠lia que √© assistido com um limite m√°ximo de gastos de 1000 euros por ano.



Vídeo: