Falha ao entregar documentos condominiais do administrador de saída

O administrador do condomínio revogado pela reunião, ou em qualquer caso substituído, tem a obrigação de entregar os documentos relativos ao condomínio ao seu sucessor.

Falha ao entregar documentos condominiais do administrador de saída

Entrega de documentos condominiais

Entrega de documentos

Escusado será dizer que o administrador que não entrega a documentação relativa à gestão de condomínios e apesar dos repetidos lembretes, você será forçado pelo juiz.
Al√©m disso, as raz√Ķes do senso comum tamb√©m existem e, acima de tudo, raz√Ķes legais.
Em primeiro lugar, como o Tribunal de Florença explicou recentemente (ordem de 01 de agosto de 2014, mas também ver, por exemplo, o Tribunal de Messina, 13 de março de 2013), há o fato de que a relação entre o administrador eo edifício é enquadrado pela jurisprudência pacífica no contrato de mandato; portanto, o artigo 1713 é aplicado diretamente (a referência ao artigo 1723 no texto da sentença é certamente um erro de o agente deve devolver a conta ao diretor de seu trabalho e remeter a ele tudo o que recebeu devido ao mandato; entre tudo o que ele recebeu por causa do mandato há certamente também o documentação (ver também Tribunal de Roma, 25 de janeiro de 2007, n.10818).
Além disso, os regulamentos específicos do condomínio, incorporando a jurisprudência, agora prevê agora claramente aart.1129, co.8 c.c., que Ao término da nomeação, o diretor é obrigado a entregar toda a documentação em seu poder relativa ao condomínio e aos condomínios individuais e a realizar atividades urgentes a fim de evitar prejudicar os interesses comuns..
√Č claro que datas os v√°rios deveres que recaem sobre o condom√≠nio, esta omiss√£o exp√Ķe a v√°rios riscos, que certamente se enquadram na no√ß√£o de periculum em amora, isto √©, de perigo durante a dura√ß√£o de um julgamento ordin√°rio; √© por isso que justificamos a uso do procedimento de urg√™ncia nos termos do art. 700 cp.c., onde as condi√ß√Ķes para a concess√£o da provis√£o s√£o precisamente as fumus boni iuris, portanto, a apar√™ncia da raz√£o, bem como a periculum em amora (ver, entre outros, Trib. Messina 13 de mar√ßo de 2013 e Salerno Law Law 3 de outubro de 2006).
Isso foi explicado, porque do fracasso, bem como da entrega atrasada ao novo administrador dos documentos relativos √† gest√£o do condom√≠nio anterior iria derivar danos irrepar√°veis ‚Äč‚Äčao condom√≠nio, consistindo na impossibilidade de elabora√ß√£o de um or√ßamento verdadeiro e completo, a forma√ß√£o da declara√ß√£o, a distribui√ß√£o correta das despesas, cobran√ßa tempestiva de contribui√ß√Ķes ainda em hip√≥teses devidas pelos cond√īminos, verifica√ß√£o da exist√™ncia efetiva de d√≠vidas a terceiros, de delibera√ß√£o deliberada pela assembleia geral, de gest√£o √ļtil de bens e servi√ßos comuns (Trib. Messina 13 de mar√ßo de 2013).

Ação processual para entrega e poderes do administrador

Entrega de documentos condominiais

Do ponto de vista técnico-processual um recurso alternativo à sentença preventiva nos termos do art. 700 c.p.c. pode ser a liminar, desde o art. 633 c.p.c. Ele prevê a sua aplicabilidade também para casos de obrigação de entregar uma determinada coisa móvel. No entanto, isso somente se a prova escrita for fornecida por lei.
A omiss√£o da entrega exp√Ķe o antigo administrador ao responsabilidade por quaisquer danos que deve surgir (ver entre muitos Tribunal de Roma 25 de janeiro de 2007, n ¬ļ 10188), mas tamb√©m pode expor, pelo menos em mediate, o administrador respons√°vel que n√£o foi ativado de qualquer maneira poss√≠vel para recuperar a documenta√ß√£o; este encargo deriva da obriga√ß√£o de devida dilig√™ncia do agente e √©, no entanto, um pr√©-requisito para o correto cumprimento de todas as obriga√ß√Ķes espec√≠ficas que a lei lhe atribui; em geral, porque obviamente n√£o pode haver administra√ß√£o adequada sem o conhecimento e a posse das cartas; em particular, ent√£o, em rela√ß√£o √† documenta√ß√£o, como regras espec√≠ficas requerem a preserva√ß√£o da documenta√ß√£o, de fato (Artigo 1130, par√°grafo 1, No. 8), e a execu√ß√£o de obriga√ß√Ķes tribut√°rias (Artigo 1130, par. 1, n. 4).
O diretor administrativo pode proceder por sua pr√≥pria iniciativa e, portanto, sem a passagem da Assembl√©ia para a a√ß√£o judicial; √© por isso a legitima√ß√£o do processo ativo, conferido pelo art. 1130 c.c. para o desempenho das fun√ß√Ķes nele previstas - execu√ß√£o das delibera√ß√Ķes da assembleia, zelo pelo cumprimento do regulamento do condom√≠nio, administra√ß√£o das coisas, das instala√ß√Ķes, dos servi√ßos comuns, conserva√ß√£o e manuten√ß√£o dos mesmos, regula√ß√£o de seu uso e arrecada√ß√£o de contribui√ß√Ķes - inclui a prioridade e o indispens√°vel para a realiza√ß√£o dos momentos individuais de gest√£o, incluindo a recupera√ß√£o da documenta√ß√£o relativa √† gest√£o anterior (Cassa√ß√£o No. 13504/99 e Trib. Messina 13/03/2013).
Isto agora √© confirmado tamb√©m pelo novo esbo√ßo do art. 1131, c.c., para o qual dentro dos limites das atribui√ß√Ķes estabelecidas pelo artigo 1130... o administrador tem a representa√ß√£o dos participantes e pode tomar medidas contra os propriet√°rios e terceiros... Se a cita√ß√£o ou disposi√ß√£o tiver um conte√ļdo que exceda os poderes do administrador, estes ele √© obrigado a informar a assembl√©ia do condom√≠nio sem demora.
√Č √ļtil lembrar que a a√ß√£o judicial cautelar para a recupera√ß√£o da documenta√ß√£o do condom√≠nio n√£o est√° sujeita √† tentativa imperativa de media√ß√£o (vide artigo 5¬ļ do Decreto Legislativo n¬ļ 28/2010).



Vídeo: