Extens√£o do Plano Residencial da Sardenha a 31 de dezembro de 2019

L.R.n. 33/2019 prorroga o prazo do Plano Nacional da Sardenha at√© 31/12/2019, os objetivos: a requalifica√ß√£o do patrim√īnio e a limita√ß√£o do consumo da terra.

Extens√£o do Plano Residencial da Sardenha a 31 de dezembro de 2019

Sardenha Home Plan: condi√ß√Ķes e objetivos

Com o Lei Regional n.¬ļ 8 de 15 de abril de 2015 tamb√©m o Sardenhacomo outras regi√Ķes italianas, alcan√ßou o objetivo de regular as interven√ß√Ķes de constru√ß√£o, com vista a um novo desenvolvimento e limita√ß√£o do consumo da terra.

novo plano da casa da Sardenha

Na verdade, a Sardenha √© uma das regi√Ķes italianas mais expostas ao risco hidrogeol√≥gico:
a conforma√ß√£o do territ√≥rio, juntamente com um consumo excessivo de solo pelo homem e mudan√ßas repentinas no clima, levaram √† ocorr√™ncia frequente de situa√ß√Ķes de perigo devido a deslizamentos de terra, desmoronamentos, inunda√ß√Ķes, etc.
A partir desses pressupostos, nasceu a lei regional denominada Regras para a simplifica√ß√£o e a reorganiza√ß√£o de disposi√ß√Ķes no planejamento e constru√ß√£o urbanos e para a melhoria do patrim√īnio edificado: seus objetivos s√£o, de fato, os simplifica√ß√£o da constru√ß√£o, planeamento urbano e procedimentos paisag√≠sticos, bem como a remodela√ß√£o e melhoria da qualidade arquitect√≥nica e residencial, da efici√™ncia energ√©tica do patrim√≥nio edificado existente, a limita√ß√£o do consumo da terra e a reconvers√£o dos contextos paisag√≠sticos e ambientais existentes no territ√≥rio regional (Artigo 1, par√°grafo 2).

O conte√ļdo do novo Plano Casa Sardegna

Sardenha

A Lei Regional cont√©m, no T√≠tulo I, Cap√≠tulo II, algumas emendas √† Lei Regional n¬ļ 23 de 1985 relativas a controle da atividade de constru√ß√£o urbana: nos diversos artigos, as penalidades s√£o revisadas para trabalhos realizados na aus√™ncia ou n√£o conformidade das qualifica√ß√Ķes; s√£o introduzidas altera√ß√Ķes no funcionamento do balc√£o √ļnico para a ind√ļstria da constru√ß√£o e nos procedimentos para emiss√£o das qualifica√ß√Ķes; finalmente, h√° novos desenvolvimentos em rela√ß√£o √† supervis√£o e controle das atividades de constru√ß√£o urbana.
Do Capítulo III ao Capítulo VI, no entanto, existem regras para o salvaguardar e proteger o território.
Mas vamos ao T√≠tulo II chamado Regras para a melhoria dos ativos existentes, o cora√ß√£o da lei no que diz respeito √†s interven√ß√Ķes em edif√≠cios existentes.

Expansão volumétrica prevista no novo Plano Casa Sardegna

Os aumentos volum√©tricos previstos s√£o distinguidos com base na √°reas urbanas homog√™neas, de A para G: todas as interven√ß√Ķes devem ser orientadas para buscar o aprimoramento do patrim√īnio existente e a harmoniza√ß√£o com o contexto.
em √°rea A um aumento volum√©trico m√°ximo de 20% do volume urbano existente, at√© um m√°ximo de 70 metros c√ļbicos; em zonas B e Cem vez disso, uma extens√£o do 20% do volume planejamento urbano existente, at√© um m√°ximo de 90 metros c√ļbicos, em munic√≠pios inclu√≠dos em √°reas de paisagem costeira que n√£o adaptaram o plano urbano municipal ao plano de paisagem regional; o 30% do volume, at√© um m√°ximo de 120 metros c√ļbicos, nos munic√≠pios que, em vez disso, adaptaram o plano urbano municipal ao Plano Regional da Paisagem e nos munic√≠pios n√£o inclu√≠dos nas √°reas de paisagem costeira.

plano de melhoria da casa sardegna

Juntamente com estes par√Ęmetros, √© permitido um novo aumento de 5%, se a interven√ß√£o de redesenvolvimento for combinada com a ado√ß√£o de sistemas de efici√™ncia energ√©tica de toda a unidade imobili√°ria, como solu√ß√Ķes voltadas ao redu√ß√£o dos efeitos das ilhas de calor, incluindo a constru√ß√£o de telhados verdes e jardins verticais, ou solu√ß√Ķes para a reutiliza√ß√£o de √°guas pluviais e efluentes.
Nas √°reas acima tamb√©m s√£o permitidas opera√ß√Ķes de expans√£o volum√©trica, visando melhorar aacessibilidade para pessoas com defici√™ncia e o uso do espa√ßo, at√© um m√°ximo de 120 metros c√ļbicos, n√£o pode ser combinado com outras interven√ß√Ķes.
Al√©m disso, na zona A est√£o previstas projetos de renova√ß√£o de edif√≠cios conservadores, manter alguns elementos estruturais qualificados inalterados, com poss√≠veis integra√ß√Ķes funcionais e estruturais, sem aumentar a superf√≠cie, o volume e as varia√ß√Ķes da forma hist√≥rica existente.
Amplia√ß√Ķes tamb√©m s√£o permitidas nas √°reas D, E, F e G, em graus variados, dependendo dos diferentes destinos de uso, bem como propriedades para turismo e acomoda√ß√£o.

Recuperação dos sótãos previstos no novo Plano Residencial da Sardenha

No artigo 32, a lei contém regras para o reutilização e recuperação com aumento volumétrico de sótãos existentes, desde que cumpram os regulamentos sanitários previstos pela regulamentação municipal.

Opera√ß√Ķes de demoli√ß√£o e reconstru√ß√£o previstas no novo plano interno da Sardenha

Muito interessante √© o conte√ļdo do Artigo 38, que prev√™ a transfer√™ncia de estoque existente opera√ß√Ķes de demoli√ß√£o e reconstru√ß√£o com localiza√ß√£o diferente dos edif√≠cios cair em √°reas sujeitas a alto risco ou de interesse particular.
A este respeito, o venda de um crédito volumétrico máximo, igual ao volume do prédio demolido aumentou em 40%, a ser determinado por uma resolução especial do conselho municipal. A nova área de construção deve estar localizada além da faixa de 300 metros da linha de costa.

plano sardegna casa de demolição

O Artigo 39 descreve os procedimentos e procedimentos para interven√ß√Ķes demoli√ß√£o integral e posterior reconstru√ß√£o de edif√≠cios existentes com um aumento volum√©trico m√°ximo igual ao volume do edif√≠cio demolido aumentou em 30%, a ser determinado por uma resolu√ß√£o espec√≠fica do conselho da cidade.
O novo edif√≠cio a ser constru√≠do deve ser um quase energia zero conforme definido pelo decreto legislativo n. 192 de 2005, e posteriores altera√ß√Ķes e aditamentos; equipado com sistemas adequados para a reutiliza√ß√£o de √°guas pluviais e efluentes; equipado com um sistema de eleva√ß√£o adequado para o transporte vertical de pessoas, se multi-imobili√°rio com pelo menos dois n√≠veis acima do solo; feita com materiais ecol√≥gicos para constru√ß√£o verde para pelo menos 50% do c√°lculo m√©trico.
o edif√≠cios exclu√≠dos da possibilidade de aplica√ß√£o das interven√ß√Ķes acima descritas s√£o aquelas sem t√≠tulos qualificados ou n√£o qualificados deles, aqueles encadernado ou considerado de interesse hist√≥rico / paisag√≠stico, bem como sites em √°reas de alto risco.
Finalmente, uma referência à intenção da administração de recuperação de ativos: será possível, para um indivíduo privado, comprar a um preço simbólico propriedades não utilizadas com o objetivo de modernizá-los, restaurando assim a dignidade e a funcionalidade ao tecido do edifício.

Procedimento processual para o novo Plano Casa Sardegna

As interven√ß√Ķes est√£o subordinadas √† apresenta√ß√£o do SCIA ou del Licen√ßa de constru√ß√£o, a ser submetido ao balc√£o √ļnico do munic√≠pio competente, por 31 de dezembro de 2017, como proposto no Lei Regional n.33 de 7 de dezembro de 2016.



Vídeo: