Extens√£o do Plano Residencial de Piemonte em junho de 2019

A Regi√£o do Piemonte aprovou uma nova extens√£o do Plano da C√Ęmara at√© 30 de junho de 2019. Vemos o conte√ļdo da norma e todos os par√Ęmetros t√©cnicos fornecidos.

Extens√£o do Plano Residencial de Piemonte em junho de 2019

Plano Home do Piedmont: extensão até 30 de junho de 2017

Quando ouvimos sobre isso Planta da Casa, nos referimos √† extraordin√°ria faculdade de poder estender ou demolir edif√≠cios para poder reconstruir curadogra√ßas a um b√īnus em cubos.
Essa possibilidade nasceu com o Lei Regional n¬ļ 20, de 14 de julho de 2009 e foi programado para uma dura√ß√£o de um ano; no entanto, desde ent√£o quase todas as regi√Ķes italianas continuaram a ampli√°-lo.
Além disso, o Região do Piemonte seguiu o caminho da extensão, e isso significa que até 30 de junho de 2017 os cidadãos do Piemonte poderão realizar um trabalho extraordinário em suas casas.

Logo Regione Piemonte


De facto, o Conselho Regional comunicou que, com a entrada em vigor do Lei Regional 5 de dezembro de 2016, n. 24 (Liquida√ß√£o do or√ßamento de previs√£o financeira 2016-2018 e disposi√ß√Ķes financeiras), no art. 27, a aplica√ß√£o das regras relativas √† lei regional 14 de julho de 2009, n. 20 (Piano Casa Piemonte).
At√© a data acordada, eu interven√ß√Ķes de constru√ß√£o chamado por derroga√ß√£o, visando a extens√£o ou demoli√ß√£o e posterior reconstru√ß√£o de edif√≠cios residenciais, embarca√ß√Ķes, produ√ß√£o, gest√£o e alojamento-turismo, conforme exigido pela pr√≥pria lei regional.
Deve ser enfatizado que a anterior l.r. 26/2015 alterou os requisitos necess√°rios para cumprir as interven√ß√Ķes de alargamento nos termos do art. 3 (Prorroga√ß√Ķes ampliadas em derroga√ß√£o) relativas a edif√≠cios residenciais unifamiliares e bifamiliares, delegando a defini√ß√£o dos par√Ęmetros t√©cnicos relacionados a uma disposi√ß√£o do Conselho Regional.
O Conselho, de fato, aprovou, com a resolu√ß√£o n¬ļ. 8 a 2696 de 23 de dezembro de 2015 (Defini√ß√£o dos par√Ęmetros t√©cnicos necess√°rios para a determina√ß√£o das exig√™ncias do artigo 3, par√°grafos 2 e 2 bis da Lei Regional de 14 de julho de 2009) e n¬ļ. 20 (Simplifica√ß√£o dos procedimentos relativos √† constru√ß√£o e urbanismo), os requisitos exigidos, finalizados como alternativa ou al melhoria s√≠smica ou al melhoria de energia de todo o edif√≠cio no que diz respeito √† situa√ß√£o anterior √† interven√ß√£o em derroga√ß√£o.
Nessa ocasi√£o, foram tamb√©m publicados os comunicados do Conselheiro do Ambiente, Urbanismo, Ordenamento do Territ√≥rio e Ordenamento do Territ√≥rio, Desenvolvimento da Serra, Florestas, Parques e Protec√ß√£o Civil, para maior esclarecimento sobre a lei de 12 de julho de 2011, n. 106, construir interven√ß√Ķes em derroga√ß√£o e tamb√©m termos e condi√ß√Ķes para a convoca√ß√£o das confer√™ncias de planejamento e avalia√ß√£o referidas no artigo 15 e das confer√™ncias de servi√ßo referidas nos artigos 16 bis e 17 bis da lei regional de 5 de dezembro de 1977, n. 56 "Prote√ß√£o e uso do solo", bem como para a transmiss√£o da documenta√ß√£o t√©cnica relacionada.

Plano da Casa: conte√ļdo da anterior resolu√ß√£o do Conselho Regional de 23 de dezembro de 2015, n. 8 - 2696

O Conselho Regional decidiu, portanto, aprovar, em aplica√ß√£o do Artigo 3, par√°grafo 2 bis da l.r. 20/2009, i par√Ęmetros t√©cnicos necess√°rio para o prop√≥sito de determina√ß√£o dos requisitos referido no n.¬ļ 2 do artigo 3.¬ļ da mesma lei, estabelecendo que estes par√Ęmetros devem ser aplicados e articulados no projecto de constru√ß√£o de acordo com as caracter√≠sticas estruturais ou energ√©ticas em curso, no edif√≠cio a ser expandido antes da interven√ß√£o em derroga√ß√£o.

Plano da casa de Piedmont 2016


Estabelecer que, para efeitos da aplica√ß√£o do artigo 3.¬ļ da L. 20/2009 la por√ß√£o de amplia√ß√£o em qualquer caso, est√° sujeito aos regulamentos de constru√ß√£o atuais e aos regulamentos de constru√ß√£o em √°rea s√≠smica, com especial refer√™ncia √†s regras de efici√™ncia energ√©tica em edif√≠cios, a parcela de expans√£o est√° sujeita ao cumprimento do Decreto do Minist√©rio do Desenvolvimento Econ√≥mico, de 26 de junho de 2015 (Aplica√ß√£o dos m√©todos de c√°lculo do desempenho energ√©tico e defini√ß√£o dos requisitos e requisitos m√≠nimos de constru√ß√£o).
Estabelecer que as extens√Ķes mencionadas no par√°grafo 1 do artigo 3 da l.r. 20/2009, s√£o permitidos
apenas se acompanhada de interven√ß√Ķes destinadas a obter, alternativamente, os seguintes requisitos:
o melhoria s√≠smica, a que se refere o n.¬ļ 2 do artigo 3.¬ļ, atrav√©s do avalia√ß√£o da seguran√ßa do edif√≠cio existente, a ser realizado de acordo com as disposi√ß√Ķes da legisla√ß√£o vigente sobre normas t√©cnicas para edif√≠cios, mesmo na aus√™ncia de requisitos espec√≠ficos, com especial refer√™ncia √† infra-estrutura do Decreto Ministerial) 14 de Janeiro de 2008 (Aprova√ß√£o de novas normas t√©cnicas para edif√≠cios) e respectiva circular 2 de fevereiro de 2009, n. 617 C.S.LL.PP. do Minist√©rio das Infra-estruturas e Transportes (Instru√ß√Ķes para a aplica√ß√£o das novas regras
técnicas de construção "referidas no Decreto Ministerial de 14 de Janeiro de 2008);
o melhoria de energia referido no n.¬ļ 2 do artigo 3.¬ļ, entendido como a execu√ß√£o de interven√ß√Ķes no edif√≠cio ou nos sistemas t√©cnicos do edif√≠cio pr√©-existente, que implicam a melhoria do par√Ęmetro EPgl nren a calcular de acordo com a classe energ√©tica atribu√≠da ao edif√≠cio de partida, em conformidade com o Decreto de 26 de junho de 2015 do Ministro do Desenvolvimento Econ√≥mico, em acordo com os Ministros do Ambiente e da Prote√ß√£o da Terra e do Mar, Infraestruturas e Transportes e para simplifica√ß√£o e administra√ß√£o p√ļblica (Adapta√ß√£o do Decreto do Ministro do Desenvolvimento Econ√īmico, 26 de junho de 2009 - Diretrizes nacionais para a certifica√ß√£o energ√©tica de edif√≠cios).

Extens√£o do piso da casa Pemonte 2016


Para estabelecer que o√≠ndice global de desempenho energ√©tico n√£o renov√°vel O certificado original do edif√≠cio √© derivado do certificado de desempenho energ√©tico referido no decreto supramencionado, que quando expandido √© implementado, as interven√ß√Ķes para a melhoria da energia n√£o devem conduzir a um aumento das emiss√Ķes de part√≠culas a n√≠vel local, o que o cumprimento dos requisitos √© apresentado no projeto anexo ao pedido de qualifica√ß√£o atrav√©s dos respectivos documentos t√©cnicos; em particular, a melhoria energ√©tica √© demonstrada no relat√≥rio referido no Artigo 8, par√°grafo 1, do Decreto Legislativo de 19 de agosto de 2005 no. 192 (Implementa√ß√£o da Directiva 2002/91 / CE, relativa ao desempenho energ√©tico dos edif√≠cios).



Vídeo: Drone na pedreira em São José da Lapa