Trocar no local ou aumentar a energia produzida em excesso

Uma ferramenta √ļtil para entrar na rede e aumentar o excedente de eletricidade produzido por usinas movidas a fontes renov√°veis ‚Äč‚Äčou usinas de cogera√ß√£o.

Trocar no local ou aumentar a energia produzida em excesso

Qual é a troca no site?

Painéis Fotovoltaicos

o Trocar no local permite que um produtor de eletricidade (de fontes renov√°veis ‚Äč‚Äčou de cogera√ß√£o) coloque na rede a energia produzida, mas n√£o diretamente autoconsumo, para ent√£o retir√°-la e utiliz√°-la em um momento posterior √† produ√ß√£o.
O fabricante pode ser um cidad√£o privado que instala um sistema (por exemplo, fotovoltaico) em sua casa, bem como uma empresa.
O produtor de energia e o utilizador da Bolsa no Local pagam regularmente as facturas de toda a electricidade tirada da rede e só recebe um reembolso pela parte da energia transferida em data posterior ( Contribuição para trocar conta) com base em dados coletados pela operadora de rede.
O usuário mantém relacionamentos com dois contatos distintos:
- o seu próprio operador (Enel energia, Acea, A2A, etc.) para pagamento de contas;
- o GSE (Gerente de Serviços de Energia) para o contrato de troca no local e a emissão da contribuição em conta de troca.
A troca no local √© regulada pelo Resolu√ß√£o 570/2012 / R / efr e resolu√ß√Ķes posteriores (578/2013 / R / eel, 614/2013 / R / efr e 612/2014 / R / eel).

Instala√ß√Ķes permitidas para troca no local

Nem todas as usinas de energia podem acessar o Exchange no local. De fato, o serviço está disponível apenas para os sujeitos que possuem:
a) plantas com fontes renov√°veis ‚Äč‚Äčque iniciaram at√© 31 de dezembro de 2007 com capacidade de at√© 20 kW;
b) usinas com fontes renov√°veis ‚Äč‚Äčque iniciaram at√© 31 de dezembro de 2014 com capacidade de at√© 200 kW;
c) plantas de cogeração de alta eficiência com potência até 200 kW.
A potência total das plantas não deve exceder 500 kW.

C√°lculo da contribui√ß√£o em conta de c√Ęmbio

o contribuição para trocar conta é um reembolso que reembolsa o usuário pela energia fornecida à rede e consiste em dois itens principais:
- o vendas de energia;
- o reembolso de parte dos serviços de rede (distribuição, despacho, medição e encargos gerais do sistema).

Trocar no local

O c√°lculo da contribui√ß√£o em conta de troca n√£o √© uma opera√ß√£o muito imediata e deriva de v√°rios par√Ęmetros que variam ao longo do tempo, bem como os pre√ßos da energia colocada no mercado.
Torna-se, portanto, difícil quantificar a priori a quantia exata da contribuição, também dependente da quantidade de energia ingerida / retirada do mercado e do tipo de usuário. Este é um assunto complexo.
Como fazer ent√£o para entender se √© conveniente usar ou n√£o o c√Ęmbio no local? Na realidade Troca no local √© sempre uma ferramenta recomendada para aumentar a energia produzida no excedente. Essa energia seria perdida, especialmente quando o sistema n√£o estiver equipado com um sistema de armazenamento de bateria.
Al√©m disso, o pagamento da taxa de c√Ęmbio pode ser adicionado √† taxa de c√Ęmbio excedente anual, ou seja, o pagamento dessa energia alimentada na rede em quantidades maiores do que a tomada durante o ano civil. Neste caso, √© uma venda real de energia (sujeita a tributa√ß√£o), que √© considerado o pre√ßo m√©dio de mercado do ano anterior.
Para aqueles que desejam ter informa√ß√Ķes mais precisas sobre o c√°lculo da contribui√ß√£o em conta de troca e conselho excedente para baixar do site GSE o documento Regulamento de troca no local - Regras t√©cnicas, em que todos os par√Ęmetros para os c√°lculos s√£o analisados ‚Äč‚Äčem detalhe.

Ativação do serviço de troca no local

Para ativar a troca no local, os produtores de energia devem apresentar um pedido espec√≠fico atrav√©s do Portal de TI do GSE no prazo de 60 dias a contar da data de entrada em servi√ßo da instala√ß√£o. Um contrato anual ser√° estipulado para a regulamenta√ß√£o do c√Ęmbio, que ser√° tacitamente renovado para os anos seguintes.
O portal de TI do GSE deve ser utilizado pelos produtores que participam do Exchange no local tamb√©m para as fases subseq√ľentes do gerenciamento de servi√ßos.

Tarifa para cobrir os custos incorridos pelo IGE

A partir de 1 de janeiro de 2015, para as instala√ß√Ķes com capacidade nominal superior a 3 kW, taxa anual a ser reconhecido pelo GSE para os custos operacionais incorridos para o interc√Ęmbio no local (Anexo 1, ponto 4 de 24 de dezembro de 2014). A tarifa consiste em uma taxa fixa e uma taxa vari√°vel vinculada √† energia da usina. As taxas est√£o resumidas na tabela:

Tabela de taxas de c√Ęmbio no local

Qual é a diferença entre a troca no local e a retirada dedicada?

Troca no local e coleta dedicada são ambas terminologias relacionadas ao suprimento de eletricidade produzida pelo próprio usuário. Mas há uma diferença substancial que é bom saber. o Trocar no local é uma espécie de armazenamento virtual de energia produzida por si própria dentro da rede elétrica à qual a possível venda de excedentes pode ser adicionada. o Coleção dedicadapor outro lado, é apenas uma venda e venda de energia para o Operador de Serviços de Energia (GSE), que a remunera pagando uma quantia por cada kWh retirado.

Troca no local por fontes renov√°veis

Porque o interc√Ęmbio no local e a retirada dedicada n√£o podem coexistir, Qual deles √© mais barato? Depende.
Como regra geral, podemos dizer que, para usuários domésticos, a troca no local é mais barata quando a quantidade de energia transferida para a rede se aproxima da quantidade de energia consumida. Por outro lado, na presença de grandes sistemas que não são atendidos pelos usuários, a coleção dedicada é mais conveniente.

Compatibilidade de troca no local com outros incentivos

As trocas no local nem sempre podem coexistir com outras formas de incentivo fornecidas para instala√ß√Ķes de produ√ß√£o de eletricidade. Como vimos, a Bolsa no local n√£o √© compat√≠vel com o Cole√ß√£o dedicada e n√£o √© nem com o Tarifa com tudo inclu√≠do.
Al√©m disso, as usinas que acessam os mecanismos de incentivo previstos pelos Decretos Interministeriais de 5 de julho de 2012 n√£o podem usufruir do interc√Ęmbio in loco (Conta de energia V) e de 6 de Julho de 2012 (Incentivos para fontes renov√°veis ‚Äč‚Äčque n√£o sejam fotovoltaicos).
No entanto, a troca no local é compatível com a dedução fiscal na renovação de edifícios (Dedução de 50%).



Vídeo: O PODER DA ENERGIA SEXUAL | SAIBA COMO USAR