Excesso de energia em resoluções de condomínio

No caso de um recurso para uma resolução do condomínio, a Autoridade Judicial não pode entrar no mérito do caso, exceto no caso de um excesso de poder.

Excesso de energia em resoluções de condomínio

Resolução do condomínio

deliberação

L 'montagem condomínio é soberano e sua discrição nas resoluções, não está sujeita a uniões de autoridade judicial, exceto em casos de excesso de poder, o que essencialmente representa a degeneração de arbitrariedade.
o decisão tomada por condòmini reunido em assembléia, é chamado a resolução dos acionistas.
Portanto, não é nada além disso a expressão da vontade dos participantes na reunião expressando um comando ao diretor (que por lei deve executar as deliberações dos acionistas) ou, em qualquer caso, medir tendo relevância para a gestão e conservação de bens comuns.
o resoluções assembléias podem ter mera relevância interno ou mesmo assumir importância nas relações com os sujeitos outsiders para o condomínio.
Para o primeira hipótese pense na decisão pela qual a assembléia delibera a regulamentação do uso de uma parte comum ou dispõe norma para proteger a decoração do edifício.
Exceto para o caso do inquilino (uma pessoa que não faz parte do condomínio porque ele não é co-proprietário), o regulamento pode ser invocado apenas contra o condomínio.
Quanto ao resoluções com relevância externa, pense naqueles relativos à nomeação do administrador ou a escolha da empresa de construção para a execução de intervenções de manutenção: nestes casos, a decisão de montagem manifesta a um terceiro (o administrador ou a empresa) o desejo de concluir uma contrato, ou seja, dar origem a uma relação jurídica.
Precisamente por causa dessa relevância particular e também pelo fato de que no condomínio decisões eles podem ser assumidos por uma maioria e são obrigatório para todos os condomínios (artigo 1137, primeiro parágrafo, cc), exige-se que todo o processo de deliberação respeite uma série de regras.

Validade da resolução dos acionistas

Nem todas as resoluções são válidas e nem todas as resoluções inválidas eles são semelhantes da mesma maneira. Nós vemos o que esta afirmação significa.
Escreva para verbal que todos os condomínios foram regularmente convocados, mas não tendo qualquer papel para poder provar, é muito diferente de afirmar documentos à mão.
em primeira hipótese o condomínio, se processado por convocação omitida ou inexata, não pode comprovar a regularidade da declaração em ata; na segunda hipótese, no entanto, sim.
Neste contexto, oart. 66 Disponível att. código comercial. formas de disciplina e métodos de comunicação do edital de convocação da assembléia do condomínio.
o norma não é apenas para proteger a equipe, mas também e acima de tudo para proteger o condomínio individual.

Resolução Assembléia

Do mesmo modo, o verbal, isto é, o documento do qual deriva a deliberação, deve ser redigido de forma a deixar claro quem votou de que forma e por qual maioria tomou uma decisão.
Imagine se a montagem decidir não processe um dos condòmini, pelo uso ilegítimo de uma coisa comum, com o voto decisivo do mesmo condomínio! Certamente, uma situação de conflito de interesses que outros possam querer apontar e eliminar (anulando a resolução de quo).
Não só: se o verbal não indica o quórum alcançado (nem mesmo dedutivamente) como verificar se a deliberação de quórum exigida por lei para esse tópico específico foi respeitada?
Aqui, então, que a simples redação a assembléia majoritária aprova torna a decisão inválida.
Antes da entrada em vigor do reforma do condomínio (Lei nº 220/2012), o Código Civil não fazia distinção entre resoluções nulas e anuláveis, mas falava genericamente de invalidade. Era jurisprudência fazer essa distinção e catalogar defeitos em uma ou outra categoria (cf. Cass. SS.UU. n. 4806/05). A lei n. O 220/2012 implementou substancialmente os princípios jurisprudenciais.

Competência da assembléia e sindicato da autoridade judiciária

Nós vimos que se uma resolução ele é adotado em violação das regras estabelecidas pela lei sobre o procedimento de convocação e delineação, então ele pode ser contestado e, dependendo do caso, pode ser considerado nulo ou anulável.
um resolução tomada com menorias àqueles prescritos pela lei podem ser cancelados, enquanto aquele que decide sobre um assunto excluído das responsabilidades da assembléia de acionistas (por exemplo, destino do uso das unidades imobiliárias) é nulo (cf. Cass. SS.UU. n. 4806/05).
Além desses perfis de validade formal, a Autoridade Judicial tem outros poderes avaliar a legitimidade da decisão tomada sobre o mérito?
As vezes sim; vamos explicar melhor essa resposta.
o discrição da assembléia do condomínioem geral, não está sujeita a controle pela autoridade judicial. Se você decidir de acordo com a lei, pode decidir o que deseja.
L 'montagemem teoria, ele pode mudar um administrador por mês e, se o faz respeitando o procedimento de convocação e deliberação, ninguém, nem mesmo um juiz, pode impedi-lo.
discrição, foi dito no início, não significa a possibilidade de escolhas arbitrárias.
em resumo a autoridade judicial não pode avaliar se a escolha da empresa Alfa em vez de Beta para a execução das obras foi economicamente conveniente (a econômica, sabe-se, embora importante, não é o único parâmetro de escolha), mas certamente pode sancionar porque Assume-se em excesso de poder aquela deliberação com a qual se prefere uma empresa sem os requisitos mínimos legais, comparada a outra apenas porque se refere a pessoas próximas ao condomínio.
Em essência, como foi afirmado pelo Supremo Tribunal de Cassação o juiz não controla a adequação ou a conveniência da solução adotada pela resolução impugnada, mas deve estabelecer apenas que é o resultado do legítimo exercício do poder discricionário do órgão deliberativo (Tribunal n° 5889 de 2001; No. 19457 de 2005) (Cass. 18 de setembro de 2012, n. 15633).



Vídeo: Energia Renovável (Solar) em Condomínios