Isenções do projeto de combate a incêndios em garagens de condomínios

No ato de projetar e adaptar as garagens de condomínios aos regulamentos de incêndio, é apropriado levar em consideração as circulares, exceções e esclarecimentos existentes.

Isenções do projeto de combate a incêndios em garagens de condomínios

Projeto de combate a incêndios nas garagens do condomínio

antincendio autorimesse

o medidas de combate a incêndios, contido em D.M. No. 38 de 01/02/1986, direcionar os técnicos com dados e instruções para garantir um projeto correto das garagens, garantindo proteção e limitação de danos em caso de incêndio.
As medidas aplicam-se aos edifícios construídos após a publicação do decreto.
No entanto, pode acontecer que, devido à negligência dos projetistas ou devido a limitações objetivas decorrentes de problemas estruturais ou outros, essas indicações não tenham sido ou possam ser seguidas à risca.
Por conseguinte, a regra prevê a possibilidade de agir em derrogação, mas dentro de certos limites, estabelecidos de acordo com o Comando Provincial da Brigada de Incêndio territorialmente competente.

Isenções do projeto de combate a incêndios em garagens de condomínios

Além do decreto acima mencionado, também o Decreto presidencial n. 151 de 01/08/2011, Regulamento de prevenção de fogo novo, contempla a possibilidade de dar seguimento ao pedido de isenção:
Se as atividades sujeitas a controles de prevenção de incêndios (...) possuem características que não permitem o cumprimento integral das normas técnicas de prevenção de incêndio vigentes, as partes interessadas (...) podem apresentar um pedido de isenção para cumprir as regulamentações de incêndio (...) O Comando examina o pedido e, com um parecer fundamentado específico, transmite-o no prazo de trinta dias para a Direcção Regional. O Diretor, após consultar o Comitê Técnico Regional de Prevenção de Incêndios, (...) se pronuncia dentro de sessenta dias a partir da recepção do pedido, e dá comunicação simultânea ao Comando ao qual foi apresentado e ao solicitante(Artigo 7, parágrafos 1, 2, 3).
Mas como proceder para solicitar um pedido de isenção?

vigile del fuoco antincendio

o D.M. 7 de agosto de 2012no art. 6, especifica quais documentos você precisa anexar para iniciar o processo. O Comando competente deve ser enviado:
a) geral e domicílio do requerente ou, no caso de uma instituição ou empresa, do seu representante legal; b) especificação da atividade principal do assunto e de quaisquer atividades secundárias, objeto do pedido de isenção; c) Disposições legislativas para as quais é pedida a derrogação; d) especificação das características da atividade ou das restrições existentes que impossibilitem o cumprimento das disposições da letra c); e) descrição das medidas técnicas compensatórias a serem adotadas.
o anexos, preparado de acordo comAnexo I da norma, eles devem ser anotados documentação técnica, assinado pelo profissional de combate a incêndios e certificado de pagamento feita em favor do Tesouro Provincial do Estado.
O que é possível derrogar?
Para quase todas as normas relatadas no D.M. é possível prever exceções que são, no entanto, compensadas com outros sistemas capazes de garantir, em qualquer caso, a segurança dos usuários.
A título de exemplo, relatamos alguns deles.

incendio autorimessa

Em relação aoaltura dos andares a norma indica uma altura não inferior a 2,40 m com uma altura mínima sob viga não inferior a 2,00 m. A derrogação prevê que para garagens privativas, até 40 carros, e localizado o mais tardar no 1º subsolo, é permitido que a altura do piso seja inferior a 2,40 m, com no mínimo 2,00 m, desde que: a) A garagem está equipada com um sistema de ventilação natural com aberturas de ventilação sem janelas e com uma área de superfície não inferior a 1/20 da área da garagem. Pelo menos 50% da superfície de ventilação acima mencionada deve ser obtida em paredes opostas; b) a altura mínima de 2,00 m deve ser respeitada em relação a qualquer projeção do teto do teto, incluindo quaisquer instalações e tubos no teto; c) a distância máxima para chegar às saídas não deve exceder 30 m. (Artigo 3.2)
O ponto 3.7.2., Por outro lado, exige a concepção de dois rampas one-way com uma largura mínima de 3,00 m ou uma rampa única de mão dupla de pelo menos 4,50 m, ou 3,00 m para estacionar até 15 carros.
A derrogação, no entanto, indica que para garagens com mais de 15 e até 40 carros, é permitida uma rampa única com largura não inferior a 3,00 m, desde que seja instalado um sistema de semáforos adequado para regular o trânsito na mesma rampa de sentido único.

Esclarecimentos e consultas para o projeto de proteção contra incêndio das garagens do condomínio

deroghe alla progettazione antincendio

As isenções acima constituem algumas das exceções previstas pela legislação: no entanto, elas também existem esclarecimentos e perguntas a este respeito, com publicação em Ofício Circular, capaz de elucidar e simplificar o planejamento, analisando os problemas encontrados caso a caso.
Por exemplo, falando sobre caixa, como uma divisão delimitada por estruturas com, pelo menos, REI 30 e uma área superficial não superior a 40 m2, é esperado a possibilidade de dispor de salas, para fins semelhantes, com uma superfície superior a 40 m2, desde que as referidas divisões tenham uma superfície de arejamento mínima (com aberturas independentes ou em direcção à faixa de manobra) igual a pelo menos 1/25 da superfície do plano. (Protótipo no. P310 / 4108, subseção 22 (44) de 05/08/01).
Para todos os outros casos, é aconselhável consultar as normas e, de acordo com os condôminos e administradores, entrar em contato com um técnico qualificado para atendimento de 120 horas com uma atualização de cinco anos, conforme estabelecido pela D.M. 5 de agosto de 2011.



Vídeo: