A avaliação do ruído depende do juiz

A avaliação do ruído para estabelecer a sua intolerância é da competência do juiz, que não é obrigado a respeitar, no mínimo, os parâmetros indicados por lei.

A avaliação do ruído depende do juiz

Rumore

Existe uma regra no nosso sistema legal governamental a hipótese de imissõesde vários tipos, os chamados intoleráveis.

Entre estes estão ruidosos.

O artigo referido é o844 do código civil.

Recite o padrão:

o o proprietário de um fundo não pode impedir a emissão de fumo ou calor, fumos, ruídos, agitação e propagações semelhantes decorrentes do fundo vizinho, desde que não excedam a tolerância normal, tendo também em conta a condição dos locais.

Ao aplicar essa regra, a autoridade judiciária deve conciliar as necessidades de produção com os motivos da propriedade. Pode levar em conta a prioridade de um uso particular.

Silêncio, sim, mas não total ausência de ruído

Em suma, o barulho não deve ser inexistente mas não pode nem se tornar intolerável.

Como foi muito bem destacado pelo Tribunal de Cassação o limite de tolerância não é absoluto, mas relativo à situação ambiental, de acordo com as características da área, para as quais esse limite é menor em áreas destinadas a assentamentos, mas também é verdade que tolerabilidade normal não pode ser entendida como ausência absoluta de ruído.

Em outras palavras, o fato de um ruído ser percebido não significa que ele seja intolerável.

A tolerabilidade normal, então, refere-se à sensibilidade do homem médio. Finalmente, não se pode levar em conta a duração contínua ou a natureza ocasional das imissões sonoras.

Nesse caso, os juízes de mérito, considerando as emissões de ruídos pouco perceptíveis, levaram em conta todos os elementos essenciais (o ruído do ventilador de sucção só era perceptível à noite ou à noite, o ventilador ficava em um prédio sem fronteiras o da atriz e trabalhou apenas quando o banheiro foi usado, para eliminar maus cheiros)(Cass. 11 de fevereiro de 2011 n. 3440).

Disse de uma maneira sintética: não há direito de reivindicar silêncio absoluto mas você não pode ficar exagerado.

Neste contexto, sempre com referência ao ruído, qual é o limite de tolerabilidade além do qual a vítima pode solicitar que sejam tomadas medidas?

A pergunta foi feita várias vezes porque, além deart. 844 c.c. Há uma série de disposições legais que definem com muita precisão os limites de entradas ruidosas.

Rumore2

A questão foi abordada em diversas ocasiões pelo Tribunal de Cassação e recentemente, no último dia 25 de junho.

O caso em questão uma pessoa que pediu que fossem tomadas medidas contra um açougue: os refrigeradores daquela atividade, segundo os que reclamavam, eram muito barulhentos.

Como avaliar a intolerância

De fato, durante o julgamento de mérito, há apurou esta intolerância.

O açougueiro não estava lá ele apelou para o Supremo TribunalDe acordo com ele, na verdade, o barulho estava perfeitamente em ordem, pois eles estavam observando os limites previstos pelo decreto n. 1.3.1991 e 14.11.1997 (definindo os limites máximos de ruído).

A Cassação, de acordo com o seu próprio orientação majoritária, não concordou.

É lido na sentença, que a jurisprudência deste Tribunal destacou, em particular, que os parâmetros estabelecidos por regras especiais para a proteção do meio ambiente e as necessidades da comunidade, embora possam ser considerados como critérios iniciais mínimos, a fim de estabelecer a intolerância das imissões, não são obrigatórias para o juízo civil, podendo chegar ao julgamento da intolerância, nos termos do art. 844 c.c., das imissões, ainda que contidas dentro dos limites dos referidos parâmetros, sob o critério de uma apreciação prudente que considere a particularidade da situação concreta e dos critérios estabelecidos pelo direito civil.

A motivação relativa, se adequadamente motivada, constitui uma avaliação indiscutível do mérito na legitimidade (Cass. 25 de junho de 2012 n. 10587).

conclusões

Basicamente, devemos manter distintas dois andares:

a) que pubblicistico;

b) que privatista.

Na primeira hipótese Para ser conforme, basta que os ruídos não excedam os limiares indicados pelas disposições legislativas em vigor.

Rumore3

No caso do disputas entre indivíduospor outro lado, os ruídos podem ser considerados intoleráveis, mesmo que estejam abrangidos por este quadro, uma vez que esta avaliação é deixada ao critério do tribunal demandado.

Quanto às consequências da verificação da intolerância, Não se diz que a cessação da atividade é a única solução.

Na verdade, no tribunal, ele só pode pedir oadopção de medidas para eliminar o ruído ou para trazê-lo de volta dentro dos limites aceitáveis.

Neste caso, a parte que causou a intolerância, sem prejuízo da possível compensação pelo dano no passado, deve cumprir as disposições do juiz, a menos que ele decida contestar a decisão judicial.



Vídeo: 49-O Juiz Pode Rejeitar uma Prova Pericial Incontestável? | Canal de Perícia