Ensaio sobre design

Cinco designers internacionais elaboram em um ensaio como visto nas exposi√ß√Ķes mais recentes para ilustrar as tend√™ncias no campo do design.

Ensaio sobre design

Austeridade emocional.

Para a elabora√ß√£o do Trendbook 2011 cinco designers de renome internacional analisaram e interpretaram a produ√ß√£o exposta nas mais recentes e importantes exposi√ß√Ķes no campo do design e da cultura da vida.
Patricia Urquiola, Defne Koz, Martin Leutold, Harlad Grundl e Marco Velardi Resumiram, com quatro defini√ß√Ķes precisas, quatro maneiras diferentes de interpretar o design, para quatro maneiras diferentes de interpretar a vida. Quatro filosofias de design para tantas filosofias da vida.
O que une os quatro estilos diferentes, é a impressão comum que faz a sustentabilidade, exaltado ou questionado, e do qualidade os principais conceitos de toda a produção, tanto no campo do design industrial quanto no campo da construção. Para cada estilo há uma imagem explicativa de materiais e objetos.
As conquistas na arquitetura e no mobiliário estão cada vez mais orientadas para o respeito pelo indivíduo

Austeridade emocional.

como um √ļnico sendo parte de uma comunidade. As necessidades prim√°rias de um devem ser satisfeitas, mas no pleno respeito pelas necessidades dos outros, pelo presente e pelo furtivismo do Planeta.
O Trendbook 2011 está agora em sua sétima edição, nascido de uma ideia de Markus Majerus e faz uso da contribuição de designers diferentes a cada ano. A reflexão por trás deste projeto é baseada na observação de que agora todo produto simplesmente não deve ser levado em consideração apenas por seu valor funcional intrínseco.
Outros fatores ganham import√Ęncia e agregam valor: qualidade e origem dos materiais, o forma que leva em conta o tradi√ß√Ķes, a possibilidade de personaliza√ß√£o tamb√©m para produ√ß√£o padronizada.
O que, à primeira vista, é interpretado como um pequeno design tom, realmente reflete uma atenção a uma beleza natural, não mais definido a priori e aplicado para um produto, mas isso sai do próprio produto, a partir das qualidades estéticas intrínsecas dos materiais escolhidos, bem como da consciência de produzir um artigo, ou uma arquitetura, sustentável a partir do projeto.

Re-equilíbrio.

Por outro lado, √© a pr√≥pria sociedade que imp√Ķe novos modelos de consumo e depois novos modelos de vida. N√£o lev√°-lo em conta significa ficar longe do debate te√≥rico, mas tamb√©m do mercado global.
A natureza est√°, portanto, na base das escolhas de materiais e cores, mas tratada com as mais modernas tecnologias, numa uni√£o cont√≠nua entre o antigo e o moderno, entre a tradi√ß√£o formal e a mais atual. Antigos e novos juntos: o que √© novo hoje se tornar√° o tradicional de amanh√£. Nada deve ser perdido, nem a forma nem a subst√Ęncia: isso √© verdade reciclagem.
Austeridade emocional, Re-balanceamento, empatia surpreendente, perspectivas transformadoras: s√£o os

Empatia surpreendente.

quatro tendências resumidas pelos cinco artistas envolvidos. Eles têm legendas, respectivamente Beleza austera, Reconfiguração do mundo, Uma recepção surpreendentemente calorosa, Formas simples para objetos complexos.
A opul√™ncia ostensiva dos √ļltimos anos d√° lugar a uma austera eleg√Ęncia que √© apenas aparentemente, mas doce em subst√Ęncia, (...) como chocolate amargo (...). N√£o h√° mais frescuras, mas ambientes lineares e quente; Formas s√≥brias, mas arredondadas, suaves, s√£o t√£o suaves os tons naturais das cores adotadas.
Ou, os modelos impostos pelas vitrines e revistas lustrosas d√£o lugar a modelos derrubados na realidade cotidiana, recompondo essa desconex√£o que no passado gerara estilos artificiais de mobili√°rio.

Empatia surpreendente.

A casa como ref√ļgio, encontro de sua identidade, para ser reinventado a qualquer momento, dependendo do seu estado mental. Aqui, portanto, est√£o associados a essa tend√™ncia, objetos e m√≥veis simples, formas angular, materiais naturais e macios como corti√ßa, l√£, tecidos; o as cores variam do vermelho ao branco, ao amarelo, ao marrom.
Novamente: h√°, portanto, um despertar dos sentidos, todos envolvidos juntos em uma nova abordagem para o uso de objetos produzidos experimentando com novas tecnologias, para estimular novas sensa√ß√Ķes. Novos formul√°rios para novos materiais e novas fun√ß√Ķes.
Bordas e √Ęngulos fazem objetos et√©reos, o Bidimensionalidade √© o elemento caracterizador, acentuado por favo de mel ou estruturas entrela√ßadas, colorido com tons frescos de cinza ou lim√£o amarelo ou laranja. De branco a preto, passando pelo mouse cinza.

Perspectiva de transformação.


Finalmente, formas simples para objetos complexos, a saber: o material como um experimento contínuo. A partir da provocação de uma ideia de natureza como expressão imaginária criada pelo homem, a própria ideia de ecossustentabilidade é questionada.
Nós experimentamos com formas retiradas do passado exasperando-as com processamento de material extremo. o as superfícies são tratadas, materiais compósitos brilhantes e opacos, os tecidos são em metal ou fibras de vidro, é abundante em efeitos ópticos, as cores são ameixa azul, cinza-azul-claro com tons violetas, cor de caramelo metálico.

imm-content-service.com/



V√≠deo: ENSAIO FOTOGR√ĀFICO DA SYLVIA DESIGN ( IRRITADA E PISTOLA)