Sistemas elétricos em centrais térmicas

Em uma usina térmica há gás, eletricidade e sistemas com água pressurizada, todos os elementos potencialmente capazes de causar acidentes perigosos.

Sistemas elétricos em centrais térmicas

Em um usina termelétrica eles estão presentes gás, eletricidade " e sistemas com água pressurizada, todos os elementos que tornam o risco de acidentes perigosos particularmente elevado; Por esta razão, os sistemas elétricos que servem as centrais térmicas devem requisitos precisos de design e construção a fim de minimizar a probabilidade de que o mesmo sistema elétrico possa provocar uma explosão na usina devido à perda de gás combustível.

DM 12.4.96

para usina termelétrica significa um local ou vários quartos, comunicando-se entre si, caracterizados pela presença de um ou mais geradores térmicos com potência térmica única ou total maior que 35 kW; as potencialidades somam-se mesmo que os geradores trabalhem em circuitos separados, mas estejam localizados em instalações não compartimentalizadas, ou seja, existe a possibilidade de que uma eventual condição de perigo, como o acúmulo de substâncias inflamáveis ​​e / ou explosivas e não queimadas, não se limite a um certo volume; a referência fundamental nestes termos é dada pela D.M. 12.04.96.
É bom sublinhar que normas técnicas específicas e diferentes se aplicam aos geradores alimentados Gás LPG ou alimentado para gás naturale, em particular, a norma UNI EN 413 define metano como uma mistura de gás caracterizada pela constituição de metano por pelo menos 80%; O GPL é definido como uma mistura de gases inflamáveis ​​obtidos da destilação de petróleo e é armazenado e transportado no estado líquido.

Eletricidade e centrais térmicas

As principais referências legislativo para a construção de sistemas elétricos em centrais térmicas são: D.Lgs. 233/96, D.P.R. 126/98, D.P.R 661/96, CEI 31-35 normas relativas a centrais térmicas a gás natural com as adições e modificações relativas.
Uma primeira discriminação entre os vários tipos de centrais eléctricas é aquela que distingue entre centrais eléctricas que cumprem as D.P.R 661/96 e usinas que não cumprem este decreto, no primeiro caso todos os equipamentos da usina termelétrica são caracterizados pela marcação CE, esta última garante que ambientes com risco de explosão e incêndio não possam ser criados como resultado de vazamentos de gás pelos geradores temáticos ou seus queimadores.
O mesmo D.P.R. 661/96 permite, portanto, concentrar a atenção dos projetistas nos tubos de fornecimento de gás para os geradores de calor e / ou queimadores relacionados, não definindo requisitos específicos para sistemas elétricos.

 CEI 31-35

No caso, agora cada vez mais raro, mas não excluído da realidade, a existência de centrais térmicas que não cumprem a D.P.R. 661/96 e, portanto, caracterizada por geradores térmicos não marcados CE, a aplicação das normas CEI 64-8 para a construção de sistemas elétricos está sujeita à aplicação das regras CEI 31-35 variante V2 e arquivo 7264.
Estes últimos indicam precisamente os requisitos a serem atendidos pela usina termelétrica: o gás utilizado, a pressão de trabalho relativa; As aberturas de ventilação da instalação de aquecimento de acordo com a potência térmica da instalação, a sua localização, o tipo de combustível, etc.

CEI 3130

Em conclusão, nos dois casos descritos acima, não são necessários requisitos particulares para os sistemas elétricos que servem as centrais térmicas; seu elemento característico é o interruptor geral, que desabilita o fornecimento de energia para a unidade de controle, geralmente localizado perto da entrada da unidade de controle e ativado pelo sensor de vazamento de gás localizado na unidade de controle.
Digno de nota é o caso especial composto por usinas termoelétricas movidas a gás GLP: para elas, os padrões de referência para o sistema elétrico são os CEI 31-30.



Vídeo: Usinas Termelétricas (1/3): Participação no Sistema Elétrico Brasileiro