Casa ecológica da tradição

Uma casa ecológica, mas não tecnológica: é assim que o arquiteto brasileiro Marcio Kogan define a casa sustentável projetada em Salvador da Bahia.

Casa ecológica da tradição

Construir uma casa que pode ser definida como ecológica hoje, muitas vezes significa usar diferentes dispositivos tecnológicos, como plantas que produzem energia a partir de fontes renováveis e ajudas para o economia de energia.

Marcio Kogan: Casa da Bahia

Mas não esqueçamos que até mesmo as casas que foram construídas no passado podem ser chamadas de ecológicas, pela forma como elas usam materiais naturais e criar o clima certo no meio ambiente, sem produzir emissões nocivas na atmosfera.
É também o que o arquiteto e urbanista brasileiro pensa Marcio Kogan, do Estúdio MK27, que fez um exemplo significativo disso com Casa Bahia de Salvador da Bahia, uma casa que não utiliza tecnologias modernas para economizar energia, mas as técnicas tradicionais da arquitetura brasileira que permitiram que os edifícios, ao longo do tempo, se adaptassem às condições climáticas particulares do país tropical.
Para projetar este edifício, nenhum software para cálculos termo-higrométricos foi usado, mas simplesmente o conheça construtores locais.
Na Bahia, as casas sempre foram construídas de acordo com uma lógica que as torna sustentáveis. De fato, a arquitetura sustentável baseia suas raízes no passado, reunindo os melhores princípios de construção de diferentes culturas e adaptando-as a circunstâncias específicas.
As casas da Bahia, na verdade, sempre foram construídas para garantir o frescor certo no interior. o telhados de madeira eles têm capas de telhas de barro, e também as paredes são feitas com estruturas de madeira, de Origem árabe e importados dos colonizadores portugueses.
E são essas tecnologias de construção que o arquiteto foi reutilizar, sem inventar nada de novo.

Marcio Kogan: Casa da Bahia

A casa baiana projetada por Kogan apresenta um pátio central no térreo em torno do qual as várias salas são desenvolvidas. Sua finalidade é explorar o ventos do nordeste que vêm do mar e assim ventilar todos os cômodos adequadamente, de modo a tornar o clima agradável, mesmo quando lá fora estiver 40° C.
A presença do pátio central também permite que em toda a casa você pode apreciar a vista do jardim exuberante com duas mangueiras.
Graças ao uso de madeira, os interiores parecem ser particularmente refinados e refinados, enquanto os exteriores são integrar perfeitamente com o ambiente circundante.
O ensinamento é que, apesar da globalização, não há regras gerais para a construção de uma casa ecológica, mas é importante redescobrir a antigas tradições locais de construção, adaptado às necessidades climáticas do local.
marciokogan.com.br


arco. Carmen Granata



Vídeo: Santana Casas de Alvenaria Madeira e Tijolo Ecológico