Ecodesign

Directivas europeias precisas definem as características dos produtos relacionados com energia.

Ecodesign

eu

o Decreto Legislativo n¬ļ 14 de fevereiro de 2011, como indicado por Diretiva Europeia 2009/125 / CE, cujo texto entrou em vigor em 23.03.2011, definiu uma s√©rie de especifica√ß√Ķes que devem ser cumpridas produtos relacionados com energia.
Para um produto conectado √† energia, queremos dizer qualquer bem que tenha impacto no consumo de energia durante a utiliza√ß√£o, que tamb√©m √© colocada no mercado como uma √ļnica parte de um produto mais complexo, composto por v√°rias partes; ambos no caso em que o desempenho ambiental pode ser avaliado, para a parte individual independentemente, tanto no caso de o desempenho ambiental das pe√ßas individuais ser avaliado em um produto mais complexo.
Nas defini√ß√Ķes do Decreto, em particular, algumas s√£o especificadas conceitos fundamentais como: fabricante, representante autorizado, materiais, projetos, etc.

Defini√ß√Ķes de D.L. 14

o fabricante ou seja, a pessoa singular ou colectiva que fabrica os produtos, responsável pelo cumprimento do decreto do produto e é identificada por um nome ou marca comercial; na ausência de um fabricante, de acordo com esta definição, a pessoa singular ou coletiva que coloca o produto no mercado é considerada um fabricante.
o agente √© a pessoa singular ou colectiva, domiciliada ou estabelecida no territ√≥rio da Comunidade, que tenha recebido do fabricante uma mandato escrito executar todas ou parte das obriga√ß√Ķes e formalidades ligadas ao decreto em seu nome; l 'importador √© uma pessoa singular ou colectiva, domiciliada ou estabelecida na Comunidade, que coloca um produto proveniente de um pa√≠s terceiro no mercado comunit√°rio.

o materiais eles s√£o todos os materiais usados ‚Äč‚Äčdurante o ciclo de vida

verde

de produtos, enquanto projeto de produto √© a s√©rie de processos que transformam os aspectos legais, t√©cnicos, de seguran√ßa, funcionais, de mercado ou outros espec√≠ficos aos quais o produto deve obedecer √†s suas especifica√ß√Ķes t√©cnicas; o aspecto ambiental √© um elemento ou fun√ß√£o de um produto que √© capaz de interagir com o ambiente durante seu ciclo de vida.
L 'impacto ambiental √© qualquer altera√ß√£o ao ambiente que resulte, no todo ou em parte, dos produtos durante o seu ciclo de vida; este √ļltimo descreve os est√°gios consecutivos e conectados de um produto a partir de seu uso como mat√©ria-prima para o descarte final.
o reutiliza√ß√£o √© qualquer opera√ß√£o pela qual um produto ou seus componentes, no final de seu primeiro uso, s√£o usados ‚Äč‚Äčpara a mesma finalidade para a qual foram projetados, incluindo o uso continuado de um produto, dado aos pontos de coleta, distribuidores, recicladores ou fabricantes, bem como a reutiliza√ß√£o de um produto ap√≥s a reforma; o reciclagem √© o processo espec√≠fico de produ√ß√£o de res√≠duos para o fim original ou para outros fins, a partir deste processo a recupera√ß√£o de energia √© exclu√≠da.

mundo

o recupera√ß√£o de energia √© a utiliza√ß√£o de res√≠duos combust√≠veis como um meio para produzir energia atrav√©s de incinera√ß√£o direta com ou sem outros res√≠duos, mas com recupera√ß√£o de calor; recupera√ß√£o √© qualquer opera√ß√£o cujo resultado principal seja permitir que o lixo desempenhe um papel √ļtil, substituindo outros materiais que, de outro modo, teriam sido utilizados para desempenhar uma determinada fun√ß√£o, ou para prepar√°-los para desempenhar essa fun√ß√£o, dentro da f√°brica ou na economia em geral, de acordo com a Parte Quatro do Decreto Legislativo 3 de abril de 2006, n. 152 e modifica√ß√Ķes subsequentes.
para recusa significa qualquer subst√Ęncia ou objecto de que o detentor se desfaz ou decidiu ou √© obrigado a rejeitar nos termos da Quarta Parte do Decreto Legislativo de 3 de Abril de 2006, n. 152.