Aquecimento urbano Condominial

O aquecimento urbano é uma forma de distribuição de energia para aquecimento, produzida em uma usina de energia e transportada através de uma rede de tubulação.

Aquecimento urbano Condominial

O que é o aquecimento urbano?

o aquecimento urbano (ou aquecimento urbanoé uma forma de distribuição de energia para o aquecimento de edifícios, produzida em uma usina, e transportada até seu destino através de uma rede de canos isolados e enterrados, preenchidos com um fluido de transferência de calor, que pode consistir em água quente, água superaquecido ou vapor.
Uma vez chegado ao destino, o fluido A ebuli√ß√£o (a cerca de 90¬į -130¬į) d√° o calor ao edif√≠cio e, depois de ter arrefecido e atingido a temperatura de 60¬į, regressa √† f√°brica para retomar a sua viagem.

esquema de aquecimento urbano

Assim, o prefixo pinturas O termo aquecimento urbano √© precisamente para enfatizar a dist√Ęncia entre o lugar onde a energia √© produzida e aquela em que √© usada, que tamb√©m pode ser de v√°rios quil√īmetros.
As fontes que podem ser usadas para produzir energia são de origens diferentes: elas podem ser combustíveis fósseis, como os derivados do petróleo, mas também fontes renováveis, como a biomassa ou mesmo a fração combustível do lixo.
Contudo, comparado com outros sistemas de produção de calor, o aquecimento urbano permite eficiência energética, porque a planta é capaz de recuperar o calor residual nos vários processos e reutilizá-lo para produzir energia, maximizando a exploração dos recursos.
De fato, além de produzir calor, as plantas podem também geram eletricidade.
Neste caso, definimos plantas de cogeração.
Em alguns casos, as plantas também são capazes de produzir energia para o resfriamento verão, transformando a energia térmica em energia de resfriamento e as plantas são definidas como trigeração.
Esta tecnologia tem sido usada há muito tempo nos países de Norte da Europa, mas também na Itália está começando a se espalhar.
A primeira cidade a se equipar com uma planta desse tipo foi Brescia nos anos 70, seguido por Turim e outras cidades do norte.
As regi√Ķes em que actualmente existem centrais de aquecimento urbano s√£o: Trentino Alto Adige, Lombardia, Piemonte, Veneto, Emilia Romagna, enquanto em Roma o sistema est√° presente desde 1984 e √© gerido pela Acea.

Aquecimento urbano condominial ou centralizado

As empresas a que o servi√ßo de aquecimento urbano √© dirigido s√£o principalmente aquelas equipadas com sistema de aquecimento central, portanto, condom√≠nios ou edif√≠cios novos, mesmo que a tecnologia atual permita a conex√£o com a rede de usu√°rios √ļnicos, de pr√©dios de uma e duas fam√≠lias.
Em cada usu√°rio, ao inv√©s da caldeira tradicional, uma √© colocada esta√ß√£o de troca de calor, consistindo de um trocador de calor e outro equipamento conectado. √Č precisamente o permutador que permite a transfer√™ncia do calor transportado para o edif√≠cio.

conex√£o de aquecimento urbano

No trocador existe um circuito dizer prim√°rio, em que circula a √°gua proveniente da central de aquecimento do distrito, e uma disse secund√°rio, em que a √°gua a ser usada para usu√°rios individuais circula.
No caso em que o aquecimento urbano, para além de alimentar o sistema de aquecimento, também produz água quenteos trocadores são dois.
Cada alojamento est√° equipado com um moderno sistema de contabilidade de calor, para o qual o usu√°rio final paga apenas pelo consumo real.
Os sistemas também são equipados com sistemas de programação e controle de temperatura.
Graças a apropriado unidades de controle de termorregulaçãona verdade, cada usuário pode definir o aquecimento e a temperatura da água quente de acordo com suas necessidades.

Vantagens do condomínio ou aquecimento urbano centralizado

O sistema √© eficiente e ambientalmente amig√°vel porque, com a mesma energia produzida em compara√ß√£o aos sistemas tradicionais, reduz as emiss√Ķes poluentes, dado que o n√ļmero de chamin√©s na cidade √© reduzido.
Outra vantagem √© a maior seguran√ßa para gerenciamento e manuten√ß√£o: como n√£o existe uma usina real em cada usu√°rio e nem mesmo a presen√ßa de canos, ralos ou salas t√©cnicas, os riscos de explos√Ķes ou envenenamento por fuma√ßa, sempre √† espreita, tamb√©m s√£o reduzidos requisitos legais eles n√£o s√£o respeitados como deveriam e os controles do carpete s√£o dif√≠ceis de executar.
Como h√° menos necessidade de instala√ß√£o de caldeiras individuais para cada sistema aut√īnomo, assim como as chamin√©s, h√° menos restri√ß√Ķes e, portanto, mais liberdade no projeto dos espa√ßos.
Contribuir para essa maior autonomia de planejamento tamb√©maus√™ncia de prescri√ß√Ķes dos regulamentos ASL ou preven√ß√£o de inc√™ndios a ser respeitada, que normalmente estabelecem limites precisos de aera√ß√£o, volume, caracter√≠sticas da porta, etc.
Desta forma, o trabalho de gestão do administrador do condomínio.
Do ponto de vista económico, o aquecimento urbano envolveredução de algumas despesas tais como aqueles para a compra da caldeira, a instalação da chaminé e aqueles para a gestão e revisão periódica da planta.



Vídeo: ID VIDA URBANA - COMPACTO DE ALTO PADRÃO (34M² A 74M²) - STR OESTE - GOIANIA