Design sem marca

Designers e produtores nas sombras, autores de objetos bonitos, √ļteis, √©ticos e ecol√≥gicos. Aqui est√° a nova fronteira do design contempor√Ęneo: o anonimato.

Design sem marca

Um compêndio da variedade Muji

Mujirushi (Sem marca) Ryohin (Bens de qualidade) é o nome completo Muji, uma cadeia japonesa de lojas criada com uma seleção de apenas quarenta produtos, exposta em um supermercado no início dos anos 80 e hoje amplamente difundida em todo o mundo, com pontos de venda também na Itália em Milão, Roma, Bolonha e Turim.

O sortimento atual possui mais de sete mil artigos nas áreas de vestuário, acessórios, papelaria, móveis, objetos, home care e produtos para cuidados pessoais, todos envoltos em produtos simples. celofane papel transparente e marrom de pacotes. o minimalismo do acondicionamento, iluminada apenas pelas letras vermelhas inconfundíveis, reflete perfeitamente o rigor conceitual subjacente a toda a operação comercial, com base na filosofia de no-logo ou sem marca.

Isso se traduz na prefer√™ncia por produtos de designer sem marca e desconhecidos (excluindo alguns celebridades como Jasper Morrison), escolhidos exclusivamente por sua qualidade e valor est√©tico e conhecidos pelo p√ļblico em geral, e n√£o atrav√©s de campanhas publicit√°rias tradicionais m√≠dia, mas com a simples palavra de boca entre amigos ou com a experi√™ncia direta de compras na loja.

Velas coloridas para venda por Muji

A compra da Muji √© agrad√°vel, assim como a sensa√ß√£o de bem-estar proveniente do arranjo ordenado e funcional dos objetos e das cores suaves dos ambientes de vendas, mesmo por pre√ßos, razoavelmente contidos e, se poss√≠vel, proporcionais √† inten√ß√£o declarada, ao custo de produ√ß√£o. Em suma, um universo √† parte feito de design de qualidade, bonito, √©tico e tamb√©m ecol√≥gico, raramente visitado por marca contempor√Ęneos contempor√Ęneos: de Thonet para homenagear o famoso com uma linha de m√≥veis No. 14 cadeira e de Nissan para colaborar no projeto do Muji Car 1000.

Na It√°lia tamb√©m h√° aqueles, como Vittorio Bassiprofessor de desenho industrial no IUAV de Veneza, al sem marca ele tamb√©m dedicou um livro, Design an√īnimo na It√°lia, publicado por Electa. 272 p√°ginas povoadas pelos objetos da nossa vida cotidiana, indistingu√≠veis para o designer e produtor, an√īnimo e muito √ļtil e sem o qual, para coloc√°-lo Umberto Eco, voc√™ n√£o entende o que a It√°lia √©, ou o que √© design: o tanque de gasolina (imagem da capa), a mala de 24 horas, a panela de press√£o, a plasticina. Para cada um destes, e para muitos outros, o autor reconstr√≥i, atrav√©s de uma verdadeira folha anal√≠tica, origem e hist√≥ria, e revela os nomes dos designers e produtores, n√£o √© vaidoso de tal forma que eles foram arrastados para o esquecimento.

A capa do livro de Vittorio Bassi

Uma surpresa entre muitas: os brinquedos de borracha da Walt Disney?

Fabricado por Ledraplastic, Ind√ļstria de Osoppo na prov√≠ncia de Udine.

estilista conhecido (mas não famoso) e ausência total de marca registrada caracterizam todos os itens a serem vendidos DaWanda, Portal inglês on-line que se define o mercado de produtos exclusivos.

Qualquer pessoa que tenha alguma habilidade manual e possa se gabar de criar objetos √ļnicos e particulares, inacess√≠veis no mercado e que n√£o sejam produ√ß√£o industrial, pode coloc√°-los √† venda aqui; o resultado √© uma variedade digna de um suk Marroquina, mas em uma vers√£o web, em que a pesquisa do objeto desejado √© facilitada pela possibilidade de navegar pelas v√°rias categorias que indexam os diferentes produtos, desde roupas, joias, itens dom√©sticos e at√© a se√ß√£o divertida tudo mais, onde tudo √© poss√≠vel.

Almofadas feitas à mão para venda no DaWanda

Para concluir, vou usar as belas e iluminadoras palavras de Naoto Fukasawa, Designer japon√™s, n√£o por acaso um ex-colaborador da Muji, que nos remete √† dimens√£o humana e cotidiana do projeto e reavalia sua profunda conex√£o com a vida cotidiana, muitas vezes longe do clamor da m√≠dia e das marcas famosas: O mundo do design vive uma situa√ß√£o de deriva da normalidade, esqueceu suas ra√≠zes e o princ√≠pio original segundo o qual os designers s√£o respons√°veis ‚Äč‚Äčpor cuidar do ambiente criado pelo homem.

Para obter mais informa√ß√Ķes e comprar online, voc√™ pode consultar os sites:



Vídeo: Bolsonaro: Designer reage à marca do governo