O design do Masters: Le Corbusier & Co

No in√≠cio do s√©culo passado, as cria√ß√Ķes de itens de design que ainda fazem parte de produ√ß√Ķes de alta qualidade remontam ao s√©culo passado.

O design do Masters: Le Corbusier & Co

Marcel Breuer_ Cesca chair mod. B32.1928

A partir de Bauhaus de Walter Gropius e Mies van der Rohe, passando pelos estudos de Le Corbusier, para citar apenas alguns, a influ√™ncia que as obras dessas escolas no design contempor√Ęneo ainda exercem √© fundamental.
Estamos falando de períodos limitados no tempo, muitas vezes ligados a vicissitudes históricas particulares que não tinham nada a ver com arte ou com escolas de design, mesmo que muitas vezes condicionassem sua existência.
A escola de Weimar, De fato, ele viveu pouco menos de 15 anos entre o fim da grande guerra e o advento do nazismo, mas marcou um período de grande interesse cultural. Na base de todo o trabalho da escola estava a tentativa, conseguida, de conciliar duas tendências: produção industrial crescente graças ao progresso técnico e, ao mesmo tempo, a necessidade de recuperar o trabalho eexperiência de artesanato entendida como uma relação mais direta entre o homem e o objeto de produção.
Artista e artes√£o na nova concep√ß√£o tiveram que coabitar em uma √ļnica figura, nova em alguns aspectos, j√° que ele tinha que levar em conta todos aqueles novos processos de produ√ß√£o industrial dos quais n√£o poder√≠amos mais ignorar; por outro lado, mantendo sempre o objeto em sua complexidade e singularidade, ligando-o √† sua fun√ß√£o e estudando seus materiais com seu potencial expressivo.
conforme Gropius: o Bauhaus quer contribuir para o desenvolvimento de um modo de viver em sintonia com i

Marcel Breuer. Cadeira Wassily

tempos: os seus interesses v√£o desde o simples mobili√°rio at√© ao lar completo... para encontrar a forma de cada objecto a partir das suas fun√ß√Ķes e das suas determina√ß√Ķes naturais.

Obviamente, tudo isso contrariava os princípios dos círculos conservadores da época, de modo que, no início, não era fácil colocar todas essas ideias em prática e permaneceram essencialmente no campo teórico. Foi graças à presença de gostos de Mies van der Rohe e de Marcel Breuer e de muitos outros, foi então possível colocar essas idéias em prática e traduzi-las em objetos de design ainda hoje presentes no mercado.

Mies van der Rohe. Cadeira de Barcelona.

O resultado, nem sempre feliz, dessas teorias foram t√™xteis, l√Ęmpadas, objetos em geral, mas acima de tudo m√≥veis com estruturas de a√ßo. O objetivo era conseguir a padroniza√ß√£o da produ√ß√£o de objetos em n√≠vel industrial sem renunciar √† ess√™ncia formal do objeto em si: as propriedades de resist√™ncia e elasticidade do tubo de a√ßo curvo, juntamente com o uso de formas geom√©tricas simples, teriam dado uma solu√ß√£o para muitas dessas id√©ias, especialmente quando a f√°brica Thonet ele produziu o tubo em uma s√≥ pe√ßa (1926).
As cadeiras de Breuer, como a famosa Wassilyou Mies, como o MR produzido por Thonet em '26 e os Barcelona de 1929 em que utiliza a banda de aço, ainda hoje são produzidos sem perder um pouco de sua modernidade.
Tamb√©m a atividade de Le Corbusier no campo do design foi de grande import√Ęncia, embora limitada

Chaise longue à réglage continu - Le Corbusier, Charlotte Perriand, Pierre Jeanneret,

em compara√ß√£o com sua atividade como arquiteto. Sua melhor realiza√ß√£o conhecida √©, sem d√ļvida, a cabriol√© longue desenhado em 1928 juntamente com C. Perriand e P. Jeanneret.
Feito de ferro e a√ßo tubular, coberto em couro√© an√ļncio inclina√ß√£o ajust√°vel. A estrutura de a√ßo do assento, anatomicamente moldada, repousa sobre uma base de ferro pintada. Toda a estrutura √© projetada para que voc√™ possa assumir todas as posi√ß√Ķes, de sentado a deitado, simplesmente mudando o ponto de apoio nos suportes.
Representa o s√≠ntese ideal desses princ√≠pios de funcionalidade e est√©tica Le Corbusier afirmou desde o in√≠cio de sua atividade. Adquire uma import√Ęncia particular na hist√≥ria do mobili√°rio moderno, tamb√©m porque √© inovador em termos de solu√ß√Ķes t√©cnicas e uso dos materiais utilizados, num contexto de processamento industrial.
Para Le Corbusier: o mobili√°rio √© o equipamento interior de uma casa . Como resultado, a forma e a fun√ß√£o estavam inextricavelmente ligadas, como demonstrado em 1925 no pavilh√£o doEsprit Nouveau, em que seu modelo de c√©lula habitacional apresentava um n√ļmero de m√≥veis limitados ao essencial, a fim de deixar o m√°ximo de espa√ßo poss√≠vel para viver. Possibilidade de viver no espa√ßo e n√£o ao inv√©s entre os m√≥veis.

Le Corbusier. Poltrona Grand Confort


A este respeito, ele apreciou muito o trabalho de Breuer e os produtos de Thonet, e mais tarde se tornou mais interessado no setor de m√≥veis, criando a poltrona Grand Confort. A apar√™ncia √© um cubo compacto feito de almofadas macias cobertas de couro envolto em uma estrutura r√≠gida a√ßo tubular n√≠quel dobrado em √Ęngulos retos. N√£o tem a mesma flexibilidade formal que as realiza√ß√Ķes de Breuer, mas n√£o inclinando para tr√°s o que permite que v√°rias posi√ß√Ķes o tornem uma solu√ß√£o muito mais original.
Tamb√©m eu Casiers Standard, embora menos famosos, refletem as concep√ß√Ķes de espa√ßo e mobili√°rio de Le Corbusier, com a

Padr√£o de Le Corbusier_ Casiers.

seu modularidade que permite v√°rias combina√ß√Ķes e uso. Esta √© precisamente a modernidade destas e outras realiza√ß√Ķes do Mestre: n√£o s√≥ muitos artigos ainda est√£o presentes nas cole√ß√Ķes de muitos fabricantes, mas, como no caso de casos padr√£o, estas solu√ß√Ķes de mobili√°rio s√£o reconhec√≠veis no design contempor√Ęneo, como em paredes equipadas ou em m√≥veis modulares em geral.

Nós mencionamos especificamente o site: fondationlecorbusier.fr para a imagem padrão para o estofamento para Haute-Cour de Chandigarh (© FLC-ADAGP)

vam.ac.uk

wikipedia.org

athenaeum.ch



Vídeo: Memories of Le Corbusier