Demolição e reconstrução em relação à forma

C. reiterou em 2019 que as operações de demolição e reconstrução com diferentes formas não se enquadram na definição de renovação de edifícios.

Demolição e reconstrução em relação à forma

o Texto de consolidaçãono art. 3, parágrafo d), define como intervenções de renovação de edifícios as intervenções destinadas a transformar os organismos de construção através de um conjunto sistemático de trabalhos que podem levar a um organismo de construção em todo ou em parte diferente do anterior. Estas intervenções incluem a restauração ou substituição de alguns elementos do edifício, a eliminação, modificação e inserção de novos elementos e sistemas. Como parte das intervenções de renovação do edifício estão também incluídas as intervenções que consistem na demolição e reconstrução com o mesmo volume e forma do existente, sujeitas apenas às inovações necessárias para a adaptação às regulamentações anti-sísmicas.

demolição

Esta definição é importante para a escolha da qualificação, de fato, as intervenções acima mencionadas se enquadram na categoria para a qual é suficiente Relatório certificado de atividades iniciais (SCIA), que substituiu o Dia, e para o qual a Licença de Construção não é necessária.
Parece claro, portanto, que com este tipo de intervenções também é possível proceder à completa demolição e reconstrução de um edifício, desde que a forma e o volume permaneçam inalterados.
Este conceito foi recentemente reiterado pela Sentença do Tribunal Constitucional n. 309 do passado 21 de novembro.
O Tribunal declarou efectivamente inconstitucional a norma regional que permitia realizar um edifício completamente diferente do que já existia na forma, mantendo apenas o mesmo volume, pois representa uma extensão excessiva em relação ao padrão nacional.
A referência é às leis da Região da Lombardia 11 de março de 2005, n. 12 (Lei para o governo territorial) e 5 de fevereiro de 2010, n. 7 (Intervenções regulatórias para a implementação do planejamento regional e para a modificação e integração de disposições legislativas - Regulamentos conexos 2010).
Em particular, o art. 22 da Lei da Lombardia Lei n. 7/2010 prevê que, como parte da renovação do edifício, a reconstrução do edifício que segue a demolição é destinado sem restrição de forma, e este aspecto foi levantado pelo Tribunal Administrativo da Região.
A sentença do Tribunal reiterou que oart. 3 da D.P.R. 380/01 é um princípio que não pode ser derrogado da legislação regional e, portanto, julgou inconstitucionais os artigos de regulamentos regionais que não consideram vinculante a manutenção do formulário pré-existente.

reconstrução

O Tribunal Constitucional também especificou que a definição das diferentes categorias de intervenções de construção é da competência do Estado, como parte dos aspectos relacionados ao governo do território.
Por outro lado, a aplicação de diferentes definições por algumas regiões implicaria um comportamento desigual no território nacional que produziria efeitos negativos para sua proteção.
Portanto, no caso de demolição e reconstrução com uma forma diferente da pré-existente, o cidadão será solicitado a solicitar uma Licença de construção porque é sobre a construção de um novo edifício.



Vídeo: Aprenda a técnica de pátina de demolição!