Delegação para participar da reunião

Cada condomínio tem o direito de participar da assembléia do condomínio. Essa participação pode acontecer pessoalmente ou, com certos meios e limites, por procuração.

Delegação para participar da reunião

Participação na assembléia do condomínio

cada condomino (rectius: cada intituladocf. art. 1136 cc) tem o direito de participar demontagem de condomínio.

Montagem Condominial

A assembléia não pode deliberar, se não souber que todas as pessoas titulares foram convidadas para a reunião (art. 1136, sexto parágrafo c.c.).
o fracasso chamada na reunião, mesmo que apenas um tenha o direito, envolve a anulação da resolução.
Esta foi a opinião da jurisprudência (entre todos Cass. SS.UU. n. 4806/05) antes da entrada em vigor da reforma (Lei n.º 220/2012), que incorporou esta abordagem (ver art. 66, terceiro parágrafo, disp. att. código comercial.).
Antes de entrar no mérito da questão que nos preocupaPara completar esta breve introdução, é útil esclarecer um aspecto.
A lei n. 220 alterou o código civil, entre outras coisas, especificando que a participação na reunião cabe ao titular do direito.
Se nesta figura o i condutores ainda é uma questão de debate.

Participação por procuração

L 'art. 67, primeiro parágrafo, att. código comercial. regula a participação indireta do proprietário da unidade de construção na assembléia do condomínio, afirmando que:
Cada condomínio pode participar da reunião até mesmo por um representante, fornecido com procuração por escrito.
Este é o c.d. delegar para participar da reunião de condomínio.

montagem

Vale a pena identificar caracterizando características da instituição de delegação e as conseqüências em caso de descumprimento das regras que o regem.
Primeiro de tudo, precisamente em relação a isso, devemos nos debruçar sobre a forma necessária para considerar a delegação do condomínio válido.
Sobre este tema a norma é muito clara: a procuração para participar da assembléia do condomínio deve ser emitida por escrito.
No passado, a menos que indicado de outra forma pelos regulamentos do condomínio, a procuração oral era considerada legítima. Com a entrada em vigor da reforma Não é mais assim: caberá ao presidente da reunião verificar a presença da procuração e a repetição dos requisitos formais necessários para considerá-la válida.
Para a práticaem qualquer caso, a fórmula proxy está incluída na parte inferior do aviso de convocação em uma parte dedicada a ela.

Delegado, exclusões e limites

Atenção para o pessoa que recebe o proxy, nos termos do quinto parágrafo doart. 67 Disponível att. código comercial.
Proxies não podem ser conferidos ao diretor para participação em qualquer reunião.
A reforma do condomínio, modificando aart. 67 Disponível att. código comercial. também proibiu a chamada delegação de poderes. Neste sentido, de fato, foi especificado que:
[… ] Se os condomínios são mais de vinte, o delegado não pode representar mais de um quinto dos condomínios e o valor proporcional (art. 67, primeiro parágrafo, att. código comercial.).
O proxy pode conter a indicação expressa de como o delegado deve votar em relação aos itens individuais da ordem do dia ou ser liberado em branco, endossando, de fato, as ações daqueles que participarão da reunião.
O que acontece se eu delegar, sem uma indicação de voto, é concedido a uma pessoa que, em relação a itens específicos da agenda, está em um conflito de interesses (e, como tal, não pode expressar seu voto por sua posição)?
Sobre o ponto, afirma o Supremo Tribunal que: em caso de conflito de interesses entre um condomínio e o condomínio, se o condomínio em conflito de interesses tiver sido delegado por outro condomino para expressar o voto na assembléia, a situação de conflito que lhe diz respeito não é extensível a priori à pessoa representada, mas somente quando em particular, verifica-se que a parte delegante não estava ciente dessa situação, caso contrário, deve-se presumir que o delegador, ao conferir o mandato, também avaliou seu próprio interesse - não pessoal, mas como membro da comunidade - e considerado conforme com o que foi apresentado pelo delegado (Cass. n. 18192/09). Basicamente quem contesta essas delegações deve ser capaz de demonstrar que o conflito de interesse do delegado afetou o voto expresso em nome do delegado.
Sendo um assunto de remessa, substancialmente, às disposições do regulamento do condomínio, os defeitos relacionados às delegações, salvo em casos excepcionais, implicará a anulação e não a nulidade das deliberações (Supremo Tribunal Administrativo nº 4806/05).



Vídeo: BRASIL E DIVERSAS DELEGAÇÕES ABANDONAM REUNIÃO DA ONU EM PROTESTO CONTRA MADURO