Delegate assembly do condomínio: como funciona e requisitos

Delegação à participação da assembléia do condomínio: formar requisitos a serem respeitados; a seguir é a principal informação com o exemplo de um modelo proxy

Delegate assembly do condomínio: como funciona e requisitos

Delegação em assembléia de condomínio

Argumento de discussão cada vez mais freqüente dentro de um condomínio é aquele relacionado delegação para participação emmontagem de condomínio.
Muitas vezes acontece que você não pode participar e, felizmente, a lei permite que você delegue outras pessoas para estarem presentes em nosso lugar.

É bom conhecer as regras a esse respeito, para estar ciente dos efeitos das decisões tomadas por outros, mesmo em nossa ausência. Como existe alguma confusão sobre o assunto, é aconselhável ser informado sobre o regras básicas no assunto.

Delegado de montagem em condomínio


Baseado nas provisões do artigo 67 parágrafo 1 das disposições de implementação do Código Civil, cada condomínio pode intervir na assembléia até mesmo por sua própria representante (geralmente uma pessoa de confiança), armada com procuração escrita.
Cada condomínio pode, portanto, ser representado na assembléia do condomínio por outros condomínios ou por terceiros fora do condomínio, dando-lhes o poder de representação.
A única pessoa que não pode ser nomeada representante é o administrador do condomínio.
Durante a montagem, o representante pode levar o decisões e exercitar o direito de voto em nome e para conta do condomino representado permaneceu ausente.
Esta é uma forma de representação voluntária, ou seja, voluntariamente conferida pelo sujeito envolvido. Graças à procuração divulgada, o condomínio que não puder ou não comparecer à reunião será considerado presente para todos os efeitos; pense sobre o propósito de estabelecer a assembléia de acionistas, o quorum a ser alcançado durante a votação e o direito de contestar a resolução se as condições legais forem cumpridas.
Quando mais de uma pessoa é representada pelo mesmo assunto, todos os delegadores se consideram presentes para fins de determinação do quórum constitutivo e do quórum de decisão.
Portanto, eles são considerados presentes tanto para o cálculo do número de participantes necessários para validar a assembléia quanto para o cálculo dos votos necessários para a resolução.

Delegado reunião e mandato do condomínio

Nós dissemos que com o delegação o representante tem direito a terceiros para participar da reunião do condomínio e votar em nome e em nome da pessoa representada.
Quanto a i relações internas entre o ausente e o delegado, são regidos, conforme esclarecido pela jurisprudência, pelas regras de mandato referido no artigo 1703 e seguindo do código civil. O delegado deve, portanto, cumprir com as instruções dados relativos às matérias abrangidas pela decisão e quanto à posição a tomar durante a votação. Aspecto importante: de acordo com as disposições do artigo 1711 código civil é proibido exceder o limites colocado pelo mandato.
Quaisquer decisões tomadas por exceder i limites da delegação para a reunião do condomínio, eles terão um impacto na relação interna entre representados e representativos.
Como para conteúdo e instruções dada pelo delegador, duas situações podem ocorrer. O delegado não forneceu qualquer indicação sobre a votação (este é o chamado delegação em branco), restaurando cada decisão à autonomia do sujeito delegado. Neste caso, o condomínio ausente, mesmo que contrário às decisões tomadas, não pode de forma alguma se opor.
A resolução aprovada também será vinculativa para ele. Ele não poderá contestá-lo, já que ele não pode ser considerado dissidente.
Se em vez disso ele deu precisão instruções sobre o voto a ser expresso em relação aordem o dia, no caso de o delegado desconsiderar as instruções, votando de maneira não-conforme, haverá um excesso de poder.
A pessoa representada terá assumido o disfarce de procurador falsus e, portanto, o voto que ele expressou será ineficaz para o delegador, que terá título para competição a resolução.

Requisitos para delegação: formulário escrito

O Artigo 67, que estabelece as disposições do Código Civil, determina que o delegado deve estar equipado com procuração escrita. Se uma delegação oral for conferida, ela será considerada nada, portanto, não é válido.
Segue-se que o condomínio que conferiu o poder de representação não pode ser considerado envolvido na assembléia. A especificação sobre i requisitos formais da delegação foram introduzidas na sequência da lei de reforma do condomínio.
Anteriormente, a norma não prescrevia qualquer exigência em relação a forma da delegação.
Só se poderia referir às disposições contidas no regulamento do condomínio. Após a reforma implementada pela lei 220/2012, quaisquer regras contidas nos regulamentos do condomínio que permitam delegações não escritas também são nulas e sem efeito.

Assembléia de condomínio representativa


Quanto ao seu conteúdo não há nenhuma disposição que exija requisitos precisos para a validade da delegação. Por agora consolidado prática, os administradores do condomínio geralmente enviar um modelo de proxy já definido na parte inferior doaviso de chamada da reunião assinada pelo delegante.
Este é o chamado delegação em branco, em que o delegado não demonstra de modo algum sua vontade sobre as decisões da agenda. Para evitar disputas desnecessárias, seria aconselhável que o procurador fosse complementado com instruções precisas e antecipadas ao administrador antes da data da reunião, enviando-o por carta registrada ou por fax ou e-mail.
Nós fornecemos abaixo um exemplo de um modelo de delegação genérica:
A delegação para representação à assembléia de condomínio em (o dia da convocação da reunião é indicada). Eu, abaixo assinado (nome e sobrenome) proprietário da unidade imobiliária localizada no piso (informe o plano) no condomínio localizado no (endereço do relatório), delego Sr. (nome e sobrenome do relatório), documento de identificação nº, para me representar na reunião do condomínio a ser realizada (conforme indicado acima), com mandato para discutir e expressar o voto em minha representação, sobre os itens da ordem do dia, conforme relatado no aviso de convocação.
No caso de delegação específica na reunião do condomínio, para cada item da pauta será necessário especificar se alguém está se abstendo, a favor ou contra. Além disso, nas notas de rodapé, mais comentários podem ser feitos sobre os tópicos discutidos.
Uma vez que a disposição mencionada no artigo 67 das disposições do primeiro parágrafo do Código Civil é considerada pelo artigo 72 (disposições para a implementação do Código Civil) como uma regra obrigatória, não pode haver limites ao poder de delegar a uma assembleia de condomínio. não aqueles previstos pela própria lei.
Eles devem, portanto, ser considerados nulo quaisquer cláusulas contidas nos regulamentos do condomínio que Excluindo a possibilidade de delegado outros condomínios ou terceiros à participação da assembléia do condomínio e ao voto.

Requisitos de delegação de condomínio


Quais são as limites ao poder de exercer a delegação de condomínio de acordo com a nossa lei?
As disposições do Artigo 67 que implementam o Código Civil, conforme emendado pela lei de reforma do condomínio, estabelecem dois limites no poder de conferir o poder de representação por procuração.
Ele diz que se os condomínios são mais de 20, a pessoa delegada não pode representar mais de um quinto condomínios e o valor proporcional do edifício.
Este limite foi colocado a fim de conter o fenômeno generalizado de concentrar um grande número de proxies no mesmo condomínio. Além de incentivar a participação pessoal na condução da reunião, queremos evitar situações de conflito de interesses e abuso de poder que resultem na concentração de proxies pela mesma pessoa.

Delegação em assembleia de condomínio: co-propriedade e usufruto

Em caso de apartamento em propriedade indivisa mais pessoas terão que seguir os ditames do segundo parágrafo do artigo 67 disposições para a implementação do Código Civil segundo as quais se uma unidade imobiliária pertencer a uma propriedade indivisa a mais pessoas, elas têm direito a apenas um representante na assembléia, que é designado pelos coproprietários envolvidos de acordo com o Artigo 1106 do Código Civil.
o voto expressa pelo representante será unicamente e se referiu à unidade imobiliária em comunhão.
A vontade expressa pela pessoa delegada terá efeito sobre todos co-proprietários.
A mesma disciplina se aplica no caso de cônjuges co-proprietários.
Quanto às faculdades daqueles que têmusufruto do apartamento-condomínio, o disposto nos artigos 6º e 7º do art. 67º do Código Civil, com as quais o usufrutuário poderá participar da assembléia do condomínio e exercer a função de direito de voto no contexto de administração ordinária e para assuntos relacionados a gozo de coisas e serviços comuns.
Para os demais negócios, o direito de voto pertence ao proprietário do imóvel, exceto nos casos em que o usufrutuário pretenda fazer uso do direito previsto no art. 1006 do Código Civil italiano, ou no caso de obras ou obras em conformidade com os artigos 985 e 986 do Código Civil italiano.
Em assuntos para os quais ele tem o direito de votar, ele terá o direito, como acontece com os proprietários, de ser representado por outro condomínio ou uma terceira pessoa.

Delegação do prédio do condomínio Fac similar

Fac assembléia de condomínio de procuração semelhante

Aqui você encontra em pdf um facs similar de uma delegação para participar de uma assembléia de condomínio.



Vídeo: Our Miss Brooks: Deacon Jones / Bye Bye / Planning a Trip to Europe / Non-Fraternization Policy