Atraso na comunicação Enea: o Ecobonus continua válido

O que acontece se os documentos forem apresentados à Enea após o final do período de 90 anos? Ecobonus não pode ser questionado. Vamos ver porque.

Atraso na comunicação Enea: o Ecobonus continua válido

Ecobonus e comunicação para Enea

O direito do contribuinte de se beneficiarEcobonus não falha em caso de atraso em comunicação de dados paraEnéias.
Este é um princípio importante afirmado pela sentença nº. 5330/2018 da Comissão Tributária Regional da Lombardia.
Porque estamos diante de um cumprimento burocrático da natureza meramente formal, o descumprimento do prazo (90 dias a partir da data de conclusão do trabalho) previsto para o transmissão de documentação, não pode justificar a exclusão do benefício fiscal, com referência a despesa para intervenções por redesenvolvimento de energia de edifícios.

Comunicação Ecobonus e Enea


Como afirmado pela Ctr Lombardia, estamos na presença de um cumprimento destinado exclusivamente a monitor e verificar a existência das condições para desfrutar do dedução fiscal em caso de intervenções destinadas a poupar energia. De fato, não constitui uma base legal adequada para questionar a legitimidade do próprio benefício fiscal. Discurso diferente deve ser feito em referência ao tipo de despesa, métodos de pagamento e todos os outros requisitos substanciais que a Repartição Fiscal considera necessários para acessar o benefício.
A história examinada pelos juízes vem do disputa feita ao contribuinte pela Receita Federal, que negou a dedução fiscal feita na declaração de imposto, após uma despesa para obras de redesenvolvimento de energia. A motivação estava na apresentação da documentação necessária após o prazo de 90 dias a partir da conclusão dos trabalhos.
O CTR afirmou que, como é vício formal, não poderia prejudicar o reconhecimento do Ecobonus. A comissão tributária se alinhava, assim, com outras disposições das comissões lombardas que já haviam se pronunciado sobre o assunto da mesma maneira.
No caso específico, o atraso na apresentação de documentos também foi questionado; os juízes regionais consideraram que a transmissão havia ocorrido prontamente e de acordo com as disposições da circular 21 / E / 2010 do mesmo escritório, que estabelece o direito do contribuinte de integrar, mesmo em uma data posterior, a comunicação.



Vídeo: