Deduções para economia de energia e controles ENEA

Os controles ENEA no ecobonus fornecem verificações e inspeções. Aqueles com um resultado negativo são reportados à Revenue Agency que pode avaliar sua revogação.

Deduções para economia de energia e controles ENEA

Quem está sujeito aos controles da ENEA?

Pedidos para Ecobonus, a dedução para economia de energia, está sujeita a verificações de amostra. Por exemplo, interessam-se aqueles que solicitaram uma dedução pela poupança de energia resultante do trabalho de isolamento na envolvente do edifício, como a substituição das janelas, o isolamento das paredes e o isolamento do telhado.
Também estão envolvidos aqueles que realizaram trabalhos nas usinas, como a substituição do sistema de aquecimento por um equipado com caldeira de condensação ou bomba de calor, instalação de painéis solares térmicos e muito mais.
Os cheques podem se limitar a conferir a documentação apresentada para a dedução fiscal, mas também expandir para visitas in loco e avaliar o desempenho dos profissionais envolvidos. Como resultado, tanto eu contribuintes que beneficiam da dedução de poupança de energia, tanto i profissionais que prestaram serviços relacionados a essa dedução.
A ENEA, a Agência Nacional para Novas Tecnologias, Energia e Desenvolvimento Econômico Sustentável, é confiadaexecução de cheques por amostragem, tanto documental como in situ, visando averiguar o cumprimento dos requisitos que determinam o acesso ao benefício fiscal.
O padrão de referência é o Decreto do Ministério do Desenvolvimento Econômico 11 de maio de 2018 que estabelece:

procedimentos e procedimentos para a implementação de controlos pela ENEA sobre a existência de condições para a utilização de deduções fiscais para despesas com medidas de eficiência energética, nos termos do artigo 14.º, n.º 2-quinquies, do Decreto-Lei n.º 4 Junho de 2013, n. 63, convertido, com alterações, pela lei 4 de agosto de 2013, n. 90.

O decreto foi publicado no Boletim Oficial em 11 de setembro de 2018.

Quais intervenções estão mais sujeitas aos controles da ENEA?

O Decreto do Ministério do Desenvolvimento Económico de 11 de maio de 2018 prevê que todos os anos a ENEA elabore programa de cheques uma amostra dos pedidos recebidos em relação às medidas de eficiência energética concluídas até 31 de dezembro do ano anterior.

Controles ENEA


A amostra é definida em limite máximo de 0,5% das instâncias.
Sendo um percentual muito baixo, o Decreto estabelece os critérios para prioridade para cheques.
Em particular, as instâncias que atendem a um ou mais dos seguintes critérios estarão mais sujeitas a verificação:

  • pedidos relativos a intervenções que dão direito a uma maior taxa de dedução;
  • instâncias que apresentam o maior gasto;
  • casos críticos em relação aos requisitos de acesso à dedução fiscal e os limites máximos de custos unitários.

Conclui-se que intervenções mínimas, como a simples substituição da caldeira, a instalação de painéis solares ou a substituição de luminárias, têm menor probabilidade de serem controladas.

Procedimento dos controles da ENEA sobre deduções fiscais para economia de energia

Para cada instância sujeita a verificação, a ENEA deve comunicar oinício do procedimento controle ao beneficiário da dedução ou, para intervenções condominiais, ao administrador do condomínio, mediante envio de carta recomendado a / r ou por meio de e-mail certificado (PEC).
No prazo de 30 dias após receber a comunicação da ENEA, o beneficiário da dedução (ou o administrador do condomínio) terá de transmitir, por e-mail certificado para [email protected], o documentação necessário verificar as condições e requisitos de dedução.

Início do procedimento de controle da ENEA


Os documentos devem estar em Formato PDF.
A documentação deve ser assinado digitalmente de um técnico qualificado se estiver prevista a assertiva sobre o cumprimento dos requisitos técnicos, ou em outros casos, pelo administrador para intervenções em partes comuns, ou pela mesma pessoa em questão para as intervenções em unidades de propriedade individuais.
Atenção: para intervenções nas plantas, uma cópia do declaração de conformidade emitido pelo instalador e, se for caso disso, uma cópia do livreto de plantas.
Neste último caso, por exemplo, é o beneficiário da dedução para a substituição do sistema de aquecimento, incluindo a caldeira.

Controlos documentais da ENEA

A ENEA, tendo recebido a documentação do beneficiário da dedução ou do administrador do condomínio, prossegue para a verificação de documentos e, no prazo de 90 dias, informar a pessoa em causa do resultado do cheque.
O controle poderia produzir resultado negativo nos seguintes casos:
falta de documentação, mesmo seguindo um pedido de integração;
b- não cumprimento dos requisitos e cumprimentos exigidos;
c- indisponibilidade para fornecer a documentação exigida, desde que seja obviamente inerente à atividade de controle.

Possível inspeção pela ENEA

Para complementar a avaliação documental, a ENEA poderia realizar um controle in situ, ou pedir para realizar uma inspeção para verificar a correspondência entre a documentação fornecida e a intervenção realmente realizada.

Avaliações da ENEA


O Decreto estabelece que a ENEA realiza anualmente verificações in situ de pelo menos 3% da amostra selecionada para verificação.
O início do procedimento através de uma inspeção é comunicado com um aviso mínimo de quinze dias, sempre com carta registada a / r ou, se disponível, por e-mail certificado.
As seguintes informações serão especificadas na carta:
- o lugar em que a inspeção será realizada;
- o data da inspeção;
- oagora;
- o nominativo da pessoa encarregada do controle.
As atividades de controle são realizadas por Equipe da ENEA equipado com qualificação técnica e experiência adequadas, que opera com independência e independência de julgamento.
Nesta atividade, os funcionários são qualificados como funcionários públicos.
A verificação in loco será realizada na presença do beneficiário da dedução ou do administrador do condomínio e, quando relevante, também na presença do técnico que assina o relatório de término das obras.
Durante as operações de inspeção, os técnicos da ENEA podem solicitar e adquirir documentos, desenhos técnicos e qualquer outra informação considerada útil.
Eles também podem fazer levantamentos fotográficos, desde que estejam estritamente conectados às operações de controle.
No final da inspecção, os técnicos da ENEA terão de elaborar um verbal contendo a descrição das operações realizadas, a documentação examinada, as informações adquiridas e quaisquer declarações feitas pelas partes (beneficiário da dedução, administrador e técnicos responsáveis), emitindo uma cópia.
O controle in situ produzirá resultado negativo nos seguintes casos:
a- as declarações contidas na documentação transmitida pelo beneficiário da dedução ou pelo administrador do condomínio presente diferenças significativas em comparação com os trabalhos realizados;
b- na presença de comportamentos hostis ou omissivos contra os técnicos responsáveis, incluindo a recusa de acesso ao edifício a ser inspecionado.

Transmissão de dados para a Receita Federal e relatórios para as ordens de profissionais

Depois de concluir suas avaliações, ENEA terá que transmitir para a agência de receita um relacionamento nos controlos efectuados.

Transmissão de dados para a agência de receita


O relatório será motivado e, nos casos com resultado negativo, será funcional para a avaliação final do possível confisco do benefício, que em qualquer caso será até a Agência de Receita.
Passaremos, por conseguinte, a uma fase subsequente de avaliação, que deixará de envolver a ENEA, mas apenas a Inland Revenue, à qual será confiada a tarefa de avaliar se a perda do benefício e quaisquer sanções serão ou não canceladas.
Além disso, se atividades ilegais ou falsas declarações forem relatadas pelos profissionais envolvidos, a ENEA fornecerá a devida notificação aos pedidos correspondentes aos quais eles pertencem.



Vídeo: