Forneça sua casa com mapas e mapas de design

Para dar um toque de originalidade às paredes da casa, a melhor solução é pendurar fotos, fotografias ou, porque não, mapas e mapas de design.

Forneça sua casa com mapas e mapas de design

Furnish casa com estampas e pinturas

arredare casa con stampe e quadri

Vivendo um novo espa√ßo ou repensando um meio j√° estruturado para entrar na conforma√ß√£o e mobili√°rio do mesmo: depois de ter escolhido a cozinha, os m√≥veis para sala e quartos, as coberturas para os banheiros, o piso e as cores da parede, n√£o permanecem que embelezar as paredes com diamantes, fotografias e impress√Ķes capaz de personalizar totalmente o espa√ßo.
A escolha é interminável e é condicionada pelo gosto e mobiliário da sua casa: depois de ter escolhido o tema, você precisará escolher quadro mais adequado, bem como um direito e estudou iluminação capaz de tirar o máximo proveito do assunto e da parede que irá hospedá-los.

Forneça sua casa com mapas e mapas de design

Deixando as pinturas, muitas vezes muito caras se elas s√£o feitas em uma √ļnica c√≥pia e fotografias de assuntos muito pessoais, √© poss√≠vel decorar as salas com impress√Ķes tendo por tema mapas e mapas das cidades.
Claro, o assunto não é tão original, dado que os primeiros mapas desenhados com uma concepção moderna do planeta datam do século XIII, mas com o advento do GPS e navegação na web, os mapas perdem sua função original para assumir que de ornamento puro.
Os planisf√©rios, os mapas pol√≠ticos e f√≠sicos, as ruas, n√£o mais tornam o guia e a visualiza√ß√£o 2d do mundo, de um estado ou de uma cidade, mas, retrabalhados e repensados ‚Äč‚Äčcom as t√©cnicas art√≠sticas mais d√≠spares ou gr√°ficos digitais, tornam-se verdadeiras obras de arte para ser exibido em museus ou nas paredes da sua pr√≥pria casa.
Na sala de estar, sala de estar ou, porque n√£o, nos quartos as estampas s√£o capazes de dar um toque de vivacidade aos ambientes.
Vamos começar com um dos primeiros exemplos de esquematização gráfica de um espaço, um serviço, especificamente o sistema de transporte de Londres.

mappa di londra

O primeiro remonta a 1931 Mapa subterr√Ęneo de Londres que n√£o persegue o objetivo de escalar as v√°rias paradas, mas sim de fazer esquemas, para ter uma compreens√£o mais imediata dos v√°rios movimentos a serem feitos para alcan√ßar o destino desejado.
Depois do ceticismo inicial, o mapa, desenhado por Harry Charles Beck, tem sido tomado como referência por muitos designers gráficos e designers para a criação de mapas para outras cidades.
De lá, muitos passos adiante foram feitos tanto nas técnicas de representação quanto no uso de mídia digital capaz de facilitar e diferenciar os métodos de retorno.
Muitos artistas e designers gráficos se aventuraram na criação e reformulação de mapas e mapas com técnicas e estilos muito imaginativos.

mappa di mahattan lu xinjian

Vamos começar com o artista chinês Lu Xinjian que, a partir das vistas aéreas de Google Earth, tem representado muitas cidades do mundo, o mais importante, através de uma rede de linhas e curvas que delimitam as ruas, blocos e bairros.
Merano, Sidney, Nova York, Lugano, são apenas algumas das cidades marcadas pelo uso de geometria e cor: a imagem mostra aacrílico sobre tela de Manhattan.
Outra ideia muito original é representar estados, continentes ou todo o mundo através de salpicos de cor: o artista inglês Michael Tompsett Ele é o autor de gravuras representando a Austrália, a Itália, a Inglaterra ou até mesmo alguns dos mais importantes edifícios símbolo do mundo através de desenhos aparentemente aleatórios de cores que, em geral, reproduzem a conformação do mesmo.

cartina new york sparks

Eu n√£o posso deixar de relatar um trabalho magn√≠fico artesanal na era digital: o ilustrador Jenni Sparks Ela tem uma forte paix√£o pela representa√ß√£o das m√£os e √© autora de desenhos ir√īnicos e ilustra√ß√Ķes semelhantes aos quadrinhos.
Baseado no trabalho feito para a cidade de Londres, sua cria√ß√£o mais recente diz respeito √† mapa de Nova York: nele os edif√≠cios representados em 3d s√£o atravessados ‚Äč‚Äčpor linhas de metr√ī, por parques e alternados com representa√ß√Ķes pop de bares, museus, restaurantes, lojas, etc.
Por fim, uma refer√™ncia a um caso italiano, isto √©, √† reelabora√ß√£o do Metr√ī de Mil√£o de um jovem designer russo: Dmitry GoloubPor sua pr√≥pria iniciativa, ele redesenhou o mapa de Mil√£o, propondo novos estilos e, acima de tudo, linhas mais suaves.
Embora seja uma proposta pessoal simples, a notícia imediatamente fez as rondas da web trazendo consigo polêmicas nacionalistas.
Mas como falamos de arte, nada é bem-vindo mais do que o criatividade.



V√≠deo: REFORMANDO V√ĀRIAS CASAS - HOUSE FLIPPER #23 PT-BR