Construção de um scannafosso em condomínio

A realiza√ß√£o de um condom√≠nio scannafosso que pode ser √ļtil para isolar os ambientes, est√° sujeita a uma s√©rie de condi√ß√Ķes a serem avaliadas caso a caso.

Construção de um scannafosso em condomínio

O que é o scannafosso?

scannafosso

o scannafosso nada mais é do que um tipo vazio criado artificialmente em torno dos edifícios, a fim de isolá-lo, na melhor das hipóteses, especialmente da umidade e, portanto, para permitir uma melhor conservação ao longo do tempo.
em idioma italiano atualportanto, o termo "scannafosso" em edifícios recentemente construídos tende a substituir o termo espaço intermediário.
No vocabulário da língua italiana, o uso deste termo é principalmente limitado a edifícios rurais ou edifícios construídos em épocas passadas.
Em linguagem comum, especialmente em algumas partes da It√°lia, no entanto, o termo scannafosso Ainda √© usado como sin√īnimo d'interspace.
Neste contexto, portanto, n√£o √© incomum conselho √© procurado e indica√ß√Ķes quanto √† utilidade de um scannafosso e o procedimento necess√°rio para sua realiza√ß√£o; Neste contexto, vamos lidar com os problemas do condom√≠nio relacionados a essa estrutura.

Scannafosso em solo do condomínio

√Č √ļtil lembrar que o andar do condom√≠nio n√£o √© necessariamente coincidente com o plano de campanha.
Se o condom√≠nio tamb√©m se desenvolve abaixo dele, o terreno - parte comum ex art. 1117 do C√≥digo Civil, a menos que indicado de outra forma pelo t√≠tulo - consistir√° na parte da terra em que as funda√ß√Ķes repousam.
o subterr√Ęneo, n√£o mencionado na arte. 1117 c.c. mas igualmente e unanimemente considerado um condom√≠nio, salvo indica√ß√£o em contr√°rio, √© a parte debaixo dos alicerces.
A jurisprudência é agora orientada pacificamente neste sentido (sobre a noção de solo e subsolo e sobre a sua natureza de condomínio ver, entre muitos outros, Cass. 2 de março de 2010 n. 4965).
√Č nessa √°rea do pr√©dio que voc√™ tem que ir trabalhar se voc√™ quiser fazer um scannafosso; Em ess√™ncia, precisamos criar um espa√ßo vazio entre as paredes do per√≠metro do edif√≠cio e a terra circundante, a fim de melhor isolar o edif√≠cio.
√Č um 'opera√ß√£o que para ser realizado precisa de condi√ß√Ķes particulares do espa√ßo (pode n√£o haver o suficiente para realizar tal trabalho) e seguran√ßa (ou seja, √© essencial avaliar o impacto do v√°cuo que seria criado).
Esses aspectos devem ser avaliados na fase de design e consequentemente, se n√£o forem devidamente consideradas, correm o risco de expor as decis√Ķes sobre a implementa√ß√£o do scannafosso √† censura.

Scannafosso nas resolu√ß√Ķes do condom√≠nio

O ponto fundamental que deve ser mantido em mente é que qualquer decisão sobre a realização de um scannafosso deve ser adotado pormontagem condomínio.

Construção Scannafosso

Com qual maioria? Essa é a questão natural que segue a declaração anterior.
Na sua opinião, o escritor não pode duvidar do fato de que o scannafosso deve ser considerado da mesma forma que uminovação.
Perceber essa estrutura não vai simplesmente modificar algo já existente para um melhor aproveitamento das coisas comuns, mas vai criar algo que não existia, mudando o status dos lugares de tal forma que o antes e o depois apresentem algumas diferenças como de poderes para considerar, de fato, inovador (veja neste sentido Cass. 26 de maio de 2006 n. 12654).
o realização de um scannafosso é, portanto, um trabalho inovador e, como tal, deve ser deliberado.
Quanto ao quorum deliberativo previsto para este tipo de interven√ß√Ķes, √© necess√°rio lembrar que, a partir de uma leitura coordenada doart. 1120 c.c. (que disciplinou as inova√ß√Ķes) e da arte. 1136 c.c. (sobre o qu√≥rum de decis√£o) deduz-se que:
a) para le inova√ß√Ķes comuns √© sempre necess√°rio (isto √©, tanto na primeira como na segunda convoca√ß√£o) √© necess√°rio o voto favor√°vel da maioria dos presentes na reuni√£o, representando dois ter√ßos;
b) para le inova√ß√Ķes relativamente √† elimina√ß√£o de barreiras arquitect√≥nicas, melhoria do sa√ļde e seguran√ßa do edif√≠cio, sistemas tecnol√≥gicos, etc. (para uma lista detalhada ver artigo 1120, segundo par√°grafo, c.c.) √©, no entanto, sempre necess√°rio votar a favor da maioria dos condom√≠nios presentes na reuni√£o que representem pelo menos 500 mil√©simos.
Na opinião do escritor a realização do scannafosso deve ser considerada uma inovação que visa garantir maior salubridade dos edifícios e, como tal, pode ser aprovada com as maiorias indicadas na alínea b) supra.
o despesas para a constru√ß√£o do scannafosso, como o que diz respeito a outras inova√ß√Ķes, deve ser subdividido entre todos os condom√≠nios com base nos mil√©simos de propriedade, salvo acordo em contr√°rio entre todos os participantes no condom√≠nio (art. 1123 c.c.)

Contesta√ß√Ķes de cond√≤mini

Neste contexto, √© √ļtil insistir num aspecto adicional sobre o assunto que estamos tratando: o disputa do cond√≤mini do decis√£o de montagem com a qual a realiza√ß√£o de um scannafosso √© estabelecida.
A resolu√ß√£o, como em outros casos, pode ser contestada por v√≠cios formais (por exemplo, falta de convoca√ß√£o, falha em cumprir o procedimento para verbaliza√ß√£o, falha em alcan√ßar o quorum, etc.) que deve ser considerado v√≠cio envolvendo a anulabilidade da ata, ou viola√ß√£o do art. 1120 c.c. relativa a inova√ß√Ķes proibidas, ou seja, inova√ß√Ķes que possam criar um perigo para a seguran√ßa da estabilidade do edif√≠cio ou prejudicar o seu decoro.
Neste caso, o deliberação deve ser considerada nula, exceto para a decoração que, de acordo com a opinião do autor, é sempre modificável com o consentimento de todos (contra essa interpretação a imperfeição absoluta do artigo 1120 do Código Civil, em conformidade com o artigo 1138 do Código Civil).
Em qualquer caso, o desafio da deliberação de instalação de um scannafosso deve ser precedido pela experiência de um tentativa de mediação.



Vídeo: