Condomínio: sem remuneração extra pelo administrador revogado

No caso em que o escritório do administrador do condomínio é revogado, nenhuma compensação é fornecida se a reunião é contra a extensão de seus poderes

Condomínio: sem remuneração extra pelo administrador revogado

Revogação do administrador e extensão de poderes

All 'administrador de condomínio que é revogado não cabe a ninguém taxa extra para o período após o término da atribuição.
Não há extensão dos poderes até que o novo administrador seja instalado, em caso de intenção contrária da assembléia do condomínio.
O Tribunal de Justiça Supremo Tribunal com a decisão no.12120 de 17 de maio de 2018. Nós explicamos melhor o que é.
A matéria examinada pelo Supremo Tribunal se origina da liminar apresentada por um administrador do condomínio de saída, para obter o pagamento da taxa, segundo ele, pendente à nomeação do novo diretor.
Depois de v√°rios julgamentos, o caso vem perante o Tribunal de Cassa√ß√£o, que aceita as raz√Ķes dos condom√≠nios, rejeita os pedidos do administrador recorrente.

Administrador de Condomínio


Dado que a nomeação do diretor relacionada com a gestão das partes comuns de um edifício pode cessar devido ao termo do mandato, revogação pela assembleia ou mesmo por demissão, é importante esclarecer como o período anterior ao início da gestão deve ser gerido pelo administrador entrante, a fim de salvaguardar os interesses do condomínio.
Pode acontecer que, por v√°rias raz√Ķes, um novo diretor n√£o seja nomeado imediatamente e que o pr√©dio permane√ßa por um per√≠odo descoberto.
Como o objetivo a ser perseguido √© evitar as disparidades de poder em detrimento dos condom√≠nios, os ju√≠zes estabeleceram os chamados prorogatio de atribui√ß√Ķes que se aplica sempre que um administrador falha. O detentor do poder tem o direito de exerc√™-lo at√© que o sucessor seja estabelecido. O administrador que deixar de exercer o cargo continuar√°, portanto, a exercer os poderes referidos no artigo 1130 do C√≥digo Civil italiano at√© que o novo seja inserido.
Com base no princípio da prorrogação, o administrador do caso analisado reivindicou uma soma como compensação. Segundo os juízes de legitimidade, esse princípio existe no interesse e de acordo com a vontade dos condomínios. Em caso de contrário vai não encontrará aplicação.
Nesta situação, se um novo diretor foi nomeado e um prazo foi definido para sua entrada na gestão do condomínio, o período a partir da data da nomeação do novo diretor eo início da nova nomeação é um período de passagem de entregas que não envolve mais compensação nas mãos do administrador de saída. A fortiori isso acontecerá se o início do novo gerenciamento for atrasado pela falha na entrega da documentação do condomínio devido à falha do administrador anterior.



Vídeo: