Condensa Vetri

A presença de condensação nas janelas das luminárias tem origem em vários fatores ambientais e de construção e pode ser combatida com medidas específicas.

Condensa Vetri

O fen√īmeno de condensa√ß√£o em vidro isolante pode ser apresentado em tr√™s formas diferentes. Considerando uma embalagem de vidro, como as largamente usadas e geralmente feitas de duas folhas de vidro de 4 mm de espessura, com um intervalo de pouco mais de um cent√≠metro, a condensa√ß√£o pode se formar na face externa da embalagem de vidro, nas faces internas do mesmos √≥culos ou no rosto voltado para o meio ambiente.

Condensa sul vetro

Em qualquer estrutura existem geralmente pontes t√©rmicas, onde com o termo ponte t√©rmica significa o contato entre diferentes materiais que induz a presen√ßa de caracter√≠sticas t√©rmicas significativamente diferentes das circunvizinhas, esta √ļltima caracterizada por uma homogeneidade de presen√ßa de materiais. As pontes t√©rmicas est√£o entre as principais respons√°veis ‚Äč‚Äčpela condensa√ß√£o em edif√≠cios e, portanto, tamb√©m em janelas.

Condensação e equipamentos

A condensa√ß√£o superficial no camadas internas dos √≥culos manifesta-se com maior frequ√™ncia nos cantos: na verdade, os √ļltimos tendem a resfriar-se rapidamente em rela√ß√£o ao restante da superf√≠cie envidra√ßada, precisamente porque quase sempre est√° em contato com a estrutura da arma√ß√£o que cont√©m o vidro. O problema √© geralmente represado pelas empresas produtoras por meio de interlayers no espa√ßo de vidro, consistindo de materiais comp√≥sitos, portanto particularmente isolantes, que reduzem o fen√īmeno da condensa√ß√£o.
Da mesma forma, é possível encontrar embalagens de vidro no mercado caracterizadas pela presença de espaçadores (em materiais isolantes) interposto entre vidro internas e externas, que permitem que o vidro interno seja mantido a uma temperatura mais alta com consequente limitação da formação de condensação, nos cantos. Na superfície externa do vidro, raramente ocorre condensação nos cantos, inversamente ao que acontece no interior, uma vez que as bordas do vidro externo aquecem mais do que o restante da superfície.
Ent√£o o ponto mais frio da superf√≠cie exterior do vidro localiza-se aproximadamente na √°rea central, em correspond√™ncia com a qual as dispers√Ķes t√©rmicas s√£o mais baixas que nas √°reas circunvizinhas.
Naturalmente o maior desconforto para as condi√ß√Ķes de habita√ß√£o √© causada pela forma√ß√£o de condensa nas superf√≠cies internas do vidro da janela, um fen√īmeno que depende de uma s√©rie de fatores, incluindo o clima externo, a temperatura do ar interior, a produ√ß√£o de umidade na sala delimitada pela janela em quest√£o, as caracter√≠sticas de ventila√ß√£o do ambiente, a temperatura da superf√≠cie da parede em que √© alocou o infix, o gradiente de temperatura entre o ambiente interno e externo.
O fen√īmeno da forma√ß√£o da condensa√ß√£o, relacionado aos fatores descritos, naturalmente √© amplificado em ambientes particulares como o banheiro e a cozinha, geralmente caracterizados pela presen√ßa de vapores de √°gua quente sanit√°ria ou da umidade causada pelas atividades realizadas nos mesmos.

Limitar a formação de condensação

Condensa per irraggiamento sulla volta celeste

Uma solução para limitar a formação de condensação é de fato baseada emredução destes vapores, através do seu transporte para o exterior do edifício, juntamente com a adopção de medidas em termos de ventilação e aquecimento ambiente.
A formação de condensação na superfície externa da embalagem envidraçada ocorre quando sua temperatura é muito menor que a do ar externo, praticamente abaixo de sua temperatura. ponto de orvalho (isto é, a temperatura à qual o vapor de água contido no ar passa da fase gasosa para a fase líquida).
Para √≥culos simples, quase nunca h√° uma temperatura fora da superf√≠cie externa na superf√≠cie externa, o que evita qualquer condensa√ß√£o no rosto, ao contr√°rio do que acontece com embalagens que consistem em v√°rios copos. Neste √ļltimo, a condensa√ß√£o ocorre ap√≥s o falta de aperto do ar ou gases inertes colocados nos interespa√ßos entre o vidro.
Neste √ļltimo caso, a substitui√ß√£o do envidra√ßamento √© necess√°ria, tendo em conta que, em geral, devem ter uma garantia de dez anos. A forma√ß√£o de condensa√ß√£o na face externa √© uma fun√ß√£o de v√°rios fatores: o fluxo de calor gerado dentro do ambiente, o diferen√ßa de temperatura entre as superf√≠cies interna e externa do vidro, o valor de transmit√Ęncia do mesmo vidro, a troca convectiva com o ar externo e as dispers√Ķes por radia√ß√£o para a ab√≥bada celeste, esta √ļltima influenciada pela maior ou menor cobertura do c√©u.



Vídeo: Condensa sui Vetri delle Finestre: Le 4 Cause e Soluzioni