Colunas de carregamento elétrico em condomínio: dedução de 50% em caso de instalação

Deduções fiscais de 50% são possíveis para quem partir de março de 2019, adquirindo e instalando pontos de recarga de energia elétrica. A medida também diz respeito aos condomínios

Colunas de carregamento elétrico em condomínio: dedução de 50% em caso de instalação

Concessões de impostos e colunas de carregamento elétrico

Permitido dedução fiscal para quem instalar colunas recarga elétrica para uso privado. A lei de Orçamento 2019, aprovado com a lei 30/12/2018 n. 145, contendo o Orçamento do Estado para o exercício de 2019 e o orçamento plurianual para o triênio 2019-2021, publicado no Diário Oficial de 31 de dezembro de 2018 e vigente desde 1º de janeiro de 2019.

Instalações para instalação de coluna de recarga elétrica em condomínio


O incentivo fiscal é fornecido no caso de compra e colocando em ópera de infra-estrutura de carregamento para veículos elétricos.
Contribuintes que documentam e se beneficiarão do benefício fiscal apoio o parente despesa de março de 2019 até dezembro de 2021. O aspecto importante é que o benefício fiscal também é reconhecido condomínios.
A dedução do 50% deve ser dividido em 10 compartilhamentos montantes anuais do mesmo montante, com um limite de despesas total não superior 3000 euros.
Os custos iniciais para o pedido de energia adicional até um máximo de 7 kw são incluídos como dedução.
Quais são os requisitos do colunas? Para poder enquadrar-se na medida fiscal, é necessário que a coluna seja colocada na partes comuns do condomínio ou ao serviço de um moradia simples. A coluna deve ter um ou mais pontos de carregamento e não deve estar acessível ao público.
Para mais detalhes sobre os procedimentos e procedimentos para a concessão da dedução, o decreto de implementação deve ser aguardado pelo Ministro do Desenvolvimento Econômico.
As vantagens introduzidas pela nova legislação não são apenas de natureza fiscal. Na verdade, é um incentivo para o uso de carros propulsores híbridos ou elétricos que, conforme previsto na Lei Orçamentária de 2019, terão livre acesso a áreas de pedestres.



Vídeo: