Central para as algas

Em Veneza, será construída a primeira usina de biomassa que utiliza a energia produzida pela fotossíntese de algas.

Central para as algas

Panorama de Veneza

A cidade de Veneza √© uma j√≥ia fr√°gil e delicada que, em virtude de sua localiza√ß√£o especial e sua espl√™ndida patrim√īnio art√≠stico, est√° constantemente em um equil√≠brio inst√°vel.
A fortiori, portanto, para uma cidade deste tipo, cada tipo de projeto deve basear-se na m√°xima sustentabilidade ambiental.
A notícia recente da construção de uma usina de impacto zero parece, portanto, perfeitamente sensível a essa necessidade.
A sociedade eNave (energia de algas para Veneza) de fato anunciou o projeto de um usina de biomassa, que ser√° composto de microalgas (diatom√°ceas unicelulares) e que representa a √ļltima fronteira em termos de energia verde.
A planta, que ser√° implementada em dois anos em porto de Marghera, vai estender por 10 hectares e vai empregar 46 pessoas, ter√° um custo de 200 milh√Ķes de euros e ir√° produzir 40 megawatts de energia limpa.
Na verdade, é uma tecnologia revolucionária que não tem a instabilidade de outras fontes renováveis, como sol e vento, captura dióxido de carbono e libera oxigênio.

Cultivo de algas industriais


A planta consistir√° de duas unidades diferentes: um para o cultivo de algas e outro para transformar a biomassa em eletricidade.
Tire proveito de uma tecnologia patenteada pela empresa americana Grupo Solena, da qual a empresa é exclusiva na Itália Enalgadministrado pelo ex-ministro do meio ambiente Willer Bordon que, junto com oAutoridade portuária de Veneza constitui eNave.
Diatomáceas, algas autóctone da lagoa de Veneza, depois de ter sido cultivado em laboratório, são colocados em cilindros de plásticocheio de dióxido de carbono e água que, junto comefeito eletromagnético dos raios do sol, provocar o fotossíntese.

algas

A biomassa produzida é centrifugado e seco para ser tratado com um inovador tecnologia de plasma que produz combustível, uma mistura de hidrogênio e monóxido de carbono que alimenta os especiais turbilhão produzido por General Electric.
O g√°s de CO2 descarregado das turbinas vem reentrada nos bioconversores para alimentar as microalgas, resultando assim na planta com emiss√£o zero.
O √ļnico res√≠duo consiste em 1% de silice natural que podem encontrar usos diferentes, mesmo em constru√ß√£o.
Qual ser√° a primeira usina de energia verde no mundo, produzir√° eletricidade por 24 horas e por 365 dias, sem, portanto, a colapsos de dia e noite a que sistemas fotovoltaicos est√£o sujeitos.
O objetivo √© satisfazer o necessidades de energia do porto de Veneza e no futuro tamb√©m do navios atracados que, se tamb√©m houver balsas e navios de cruzeiro, eles representam um tr√°fego pesado. √Č por isso que a f√°brica faz parte de um projeto maior que tamb√©m ver√° a constru√ß√£o de um Parque fotovoltaico de 32 megawatts.
Se o resultado for positivo, a empresa est√° pronta para exportar seu mecanismo para outras cidades portu√°rias, em primeiro lugar a Trieste.


arco. Carmen Granata



V√≠deo: Balne√°rio Cambori√ļ refor√ßa equipe para retirada de algas da praia central