Compre qualquer coisa

Um caso real de compra de im√≥veis √© considerado inv√°lido para saber quais condi√ß√Ķes espec√≠ficas podem determinar essa situa√ß√£o.

Compre qualquer coisa

Compre uma propriedade √© um evento que pode acontecer a qualquer um de n√≥s, mais cedo ou mais tarde, porque as propriedades s√£o sempre consideradas chamadas bens de ref√ļgio e depois, acima de tudo, porque uma casa de propriedade, em particular, √© a aspira√ß√£o da vida de todos e, muitas vezes, o sentido da realiza√ß√£o de uma vida de sacrif√≠cio.
Todo mundo sabe que comprar um im√≥vel passa pelo a√ß√£o de um ato p√ļblico, com as quais as partes acordam na identifica√ß√£o do bem, nas suas caracter√≠sticas (condi√ß√Ķes de facto e de direito) e no seu valor de venda, at√© √† estipula√ß√£o final de tal escritura, que apenas um not√°rio pode preparar, e √† sua transcri√ß√£o no Registro de Im√≥veis, em virtude do qual a transfer√™ncia de propriedade √© realizada.

Acquistare una casa

Em geral, o Not√°rio, para as fun√ß√Ķes que as leis nacionais lhe transferem, √© aquele que verifica todas as condi√ß√Ķes de fato e de direito do bem que se quer comprar e, onde ele v√™ problemas que n√£o permitem uma venda v√°lida, ele os notifica √†s partes para que possam tirar as conseq√ľ√™ncias. O que pode acontecer, √†s vezes, √© que nem todas as situa√ß√Ķes problem√°ticas s√£o facilmente evidentes a partir dos documentos dispon√≠veis, e aqui segue um caso real que aconteceu ao abaixo assinado como CTU.

Caso real de compra e venda

Durante o atividades de especialistas como consultor t√©cnico especializado por uma causa de expropria√ß√£o de im√≥veis, depois de comunicar a data da primeira inspe√ß√£o da propriedade anexada ao devedor devedor, o advogado do devedor anunciou que n√£o era poss√≠vel porque o mesmo ativo tinha sido vendido h√° muito tempo e, como uma demonstra√ß√£o da, transmitiu a nota de transcri√ß√£o da escritura p√ļblica, que informava uma data anterior √† do anexo.
Como tudo isso era possível se as mercadorias tivessem sido regularmente desconcertadas porque ainda pertenciam ao devedor? Para melhor identificar o problema, foi necessário obter oescritura notarial original e estudá-lo com cuidado. Avaliando cuidadosamente os documentos, o problema foi encontrado: na prática, o vendedor no momento do nascimento tinha sido declarado ao Registro com um nome ligeiramente diferente do real (havia um para mais) e com um data prevista de nascimento um dia.

Compravendita immobiliare

Esta situação, que determinou, além disso, um código fiscal específico, já se arrasta por anos até que o mesmo devedor tenha corrigido, no cartório do seu país de residência, tanto o nome como a data de nascimento, com a consequência de obter um Identidade de identidade atualizada e correta e um novo código fiscal atualizado e correto.
A estranheza e o verdadeiro problema surgiram do fato de que, na data da escritura p√ļblica, o devedor j√° possu√≠a a carteira de identidade e o c√≥digo tribut√°rio corretos, mas dava ao not√°rio os antigos e incorretos, que, ali√°s, eles relataram o mesmos dados pessoais imprecisos tamb√©m presentes na escritura notarial anterior que transferiu para o mesmo devedor a propriedade da propriedade que ela agora vendeu. Al√©m disso, deve-se acrescentar que, no momento da venda, a propriedade em quest√£o ainda n√£o foi identificada como registro fundi√°rio e ainda estava registrada com o n√ļmero do cart√£o cadastral da pr√°tica original.
Enquanto isso, nos dez anos desde a venda, o comprador inconsciente concluiu o empilhamento do ativo, agora identificado de forma √ļnica com um n√ļmero de folha, part√≠cula e subalterno. transcri√ß√£o do bom em seu nome √© relativo √† identifica√ß√£o cadastral nova e definitiva. Al√©m disso, o mesmo comprador investiu muito dinheiro ao longo dos anos, para tornar a propriedade confort√°vel e habit√°vel para sua fam√≠lia.

Identificazione di un bene immobiliare

Notificou todas estas quest√Ķes ao Juiz da Expropria√ß√£o Imobili√°ria, o mesmo percebeu que existiam as condi√ß√Ķes para o continua√ß√£o de opera√ß√Ķes especializadas porque o ativo em anexo, conforme relatado na escritura de penhora, era univocamente identific√°vel e, em qualquer caso, ainda transcrito, como tal, nos registros imobili√°rios em nome do devedor.
O resumo de toda esta hist√≥ria √© que o procedimento executivo prosseguiu, que a primeira oposi√ß√£o √† venda pelo not√≥rio comprador n√£o foi aceita, reconhecendo, de acordo com o juiz, uma situa√ß√£o de venda inv√°lida, e que o sujeito pobre em quest√£o tem lidado com a justi√ßa h√° anos para afirmar seu direito de ter, de fato, executado todas as etapas e a√ß√Ķes necess√°rias de acordo com a lei. da lei, com o risco de perder a propriedade da casa da fam√≠lia.



Vídeo: Compre QUALQUER COISA usando só o CELULAR!