Bônus para a compra de instrumentos musicais

A Lei do Orçamento para 2019 oferece um bônus para a compra de instrumentos musicais por alunos de determinadas instituições. Vamos ver o que é isso.

Bônus para a compra de instrumentos musicais

Bônus de instrumentos musicais ou bônus Stradivari

Desconto no preço

Uma das iniciativas que nos últimos anos tem sido adotada pelo governo em favor dos estudantes e a recuperação do consumo é a da bônus para ocompra de instrumentos musicais, também chamado por alguns Bônus Stradivarius.
A previsão deste ano comparada com a de 2016 é mais extenso, tanto em termos das instituições permitidas quanto em termos da extensão da contribuição.
Então, vamos ver mais de perto o que é.

Bônus de instrumentos musicais, as regras

Vamos considerar a posição do Consumer-estudante insinuando a do vendedor-produtor.
Em primeiro lugar, lidamos com a norma prevista no art. 1, co. 626, Lei 232 de 11 de dezembro de 2016, a lei do orçamento para 2017, que prevê a concessão de uma contribuição única para estudantes que frequentam determinadas instituições musicais para a compra de um instrumento musical.
A lei lembra o outro precedente (e similar) contido no art.1 co.984, L. de estabilidade para 2016 (que é o L. 208/2015, para o qual deve ser feita referência a critérios e métodos de reconhecimento).
Além disso, a lei prevê a emissão de uma disposição posterior doAgência de receita para a indicação das modalidades de implementação: de facto, foi emitida a recente disposiçãoProt. 50771) da Agência de Receita do 14 de março de 2017.
31 de março foi então emitido Circular n. 6E / 2017, também da Revenue Agency, que oferece maiores esclarecimentos e especificações.
Como sempre, nos referimos à leitura completa dos textos normativos.

Qual é o bônus para instrumentos musicais?

Basicamente, o benefício esperado consiste em um desconto ao consumidor do 65% do preço final do instrumento musical, para um máximo de bônus de euro 2500 euros (no ano passado era de 1000 euros e em qualquer caso não poderia exceder o custo do instrumento) e o instrumento a ser comprado deve ser novo e consistente com o endereço dos estudos.
A previsão é limitada ao ano 2017.
O limite total de benefícios é de 15 milhões de euros.
Se o benefício já foi utilizado em 2016, uma compra subsequente é, portanto, aceita líquida do benefício já usufruído.
O benefício é antecipado pelo vendedor ou produtor, que fará o desconto para o consumidor e, posteriormente, aproveitará crédito fiscal do mesmo montante do desconto.

Bônus para instrumentos musicais, beneficiários

Quem pode se beneficiar da regra?
Evidentemente aqueles que estudam música, mas isso não é suficiente: os alunos devem ser em bom estado com o pagamento de impostos e contribuições para registro para o ano 2016-2017 ou 2017-2018.
Os alunos devem então estar matriculados em determinadas instituições.

Quais instituições se beneficiam do bônus

música

Este ano, a audiência de institutos admitidos é mais extensa que no ano passado.
Como a Revenue Agency observa na circular no. 6E / 2017, em 2016 o benefício era utilizável apenas por

alunos matriculados nos cursos instrumentais do período de três anos e a ordem anterior de conservatórios de música e institutos musicais equilibrados, enquanto este ano os alunos de todos os cursos de conservatórios e instituições musicais equalizaram (preaccademici, biennio, triennio e regulamentos anteriores), aqueles matriculados em escolas secundárias de música e coreografia, limitados a seções musicais, e aqueles matriculados em instituições de ensino de música e dança autorizados a emitir títulos de alta artística, musical e dança de acordo com o artigo 11 do regulamento referido no Decreto do Presidente da República, 8 de julho de 2005, n. 212 (Circular 6E / 2017)

.
O referido decreto contém o

disciplina para a definição dos sistemas educativos das instituições de alta formação artística, musical e dança (Decreto Presidencial 212/2005)

Artigo. 11 em particular, trata da autorização para emitir as qualificações de Educação Superior Artística, Musical e Coral para instituições não-estatais já existentes na data de entrada em vigor dessa lei.
Especificamente, então, os institutos especificamente admitidos são indicados noAnexo 1 da Prestação da Receita de 14 de março de 2017 (protocolo 50771); a lista pode sofrer mudanças devido a mudanças na oferta educacional dos institutos durante o ano.

Quais ferramentas podem ser compradas com a contribuição

O instrumento a ser comprado deve ser novo e consistente com o endereço escolhido semelhante ou complementar: essas qualidades devem resultar de declarações conformidade dos institutos com base no que é indicado porAnexo 2, da provisão acima mencionada da Revenue Agency.
A compra de um componente do instrumento é permitida, mas não de bens de consumo, como juncos ou cordas.

Como obter a contribuição

Para aproveitar o benefício que o estudante deve pedir ao seu Instituto (que é necessário liberá-lo), um certificado de registro a partir do qual o sobrenome, nome, código de imposto, curso e ano de matrícula do aluno devem ser mostrados, bem como o instrumento musical compatível com o curso de estudo).

Instrumentos musicais


Aqueles que pediram o certificado do último ano e pretendem aproveitar novamente o benefício, devem solicitar outro certificado.
o certificado é preparado em duplicado: um é mantido pelo Instituto emissor e o outro é entregue pelo aluno ao vendedor-produtor quando o instrumento é comprado.
O produtor ou varejista, por sua vez, manterá o certificado para todo o período em que a Agência puder realizar verificações; além disso, a venda deve ser documentada por fatura, também simplificada, recibo ou recibo que indicará, além dos demais dados exigidos, o código tributário do aluno, o preço de venda incluindo a contribuição e o IVA, bem como o valor da contribuição.

Crédito fiscal para vendedor / produtor

Como previsto, o vendedor / produtor se beneficiará de um crédito fiscal de um montante igual à contribuição paga aos estudantes sob a forma de um desconto, sempre dentro do limite dos recursos alocados de 15 milhões de euros, que serão atribuídos em ordem cronológica.
para apreciar do crédito fiscal, do retalhista ou do produtor, primeiro para concluir a venda terá que comunicar para a Agência de Receita, o código pessoal do estudante e do Instituto que emitiu o certificado de registro, o instrumento musical adquirido, o preço de venda incluindo a contribuição e o IVA.
Comunicações podem ser feitas a partir de 20 de abril de 2017 (os estudantes podem solicitar um certificado antecipadamente) através do serviço eletrônico da Fiselline ou da Entratel da Receita Federal ou através de intermediários autorizados.
Para cada comunicação enviada, o sistema emitirá o apropriado recibo certificar a usabilidade ou não do crédito tributário em consideração à capacidade de alocação, a exatidão dos dados inseridos e a verificação da unicidade do bônus solicitado; também resultará em qualquer bônus já recebido em 2016 e a diferença de crédito ainda devida; portanto, o recibo indicará a soma igual a 65% do preço de venda do instrumento no caso do primeiro uso, ou o valor do restante da contribuição permitida no caso de o aluno ter se beneficiado do benefício no ano passado.
O crédito fiscal será utilizável pelo vendedor-produtor a partir do segundo dia útil após a data de emissão do recibo; e será utilizável exclusivamente em compensação (conforme o Artigo 17, Decreto Legislativo 241/1997, e emendas subseqüentes.
Se após o recebimento do recibo a venda do instrumento musical não terminar, o revendedor ou o fabricante enviará uma comunicação de cancelamento da venda para que o aluno possa se beneficiar do benefício no futuro.
Neste caso, se o revendedor-produtor do instrumento musical que já utilizou em compensação o crédito fiscal relativo derramá-lo.



Vídeo: O SOM DOS INSTRUMENTOS MUSICAIS #01 | Que instrumento é este? | Canal Marcelo Serralva