APE também para edifícios não transferidos

O Conselho do Notário emitiu um documento, segundo o qual o EPA também deve ser preparado em alguns casos onde não há transferência da propriedade.

APE também para edifícios não transferidos

L 'Certificado de Desempenho Energético (APE), que substituiu o Certificado de Certificação Energética (ACE), é um documento obrigatório no caso de transferência de um imóvel, a título oneroso ou gratuito, em seguida, venda, locação e agora também uma doação.
Está previsto de acordo com o estabelecido porart. 6, parágrafo 1 do Decreto Legislativo 192/2005 Para todos os edifícios que consomem energia, não é necessário que os edifícios não incluam o consumo de energia.

Attestato di Prestazione Energetica

No entanto estes dias o Conselho de Notário emitiu um documento, segundo o qual o Certificado também deve ser preparado em alguns casos em que não há transferência da propriedade.
É sobre estudo 657 - 2013 / C aprovado pela Área Científica - Estudos Públicos em 19 de setembro de 2013, que segue a Primeiras notas interpretativas relacionadas com a ligação do APE sob pena de nulidade publicado no verão passado.
Com base neste documento, o Conselho declara que o Certificado deve ser preparado, bem como para todos os novos edifícios, incluindo edifícios renovados e edifícios públicos.
Na verdade, de acordo com o notário, a presença do APE é devida não apenas a uma suposição de tipo contratual, que é implementado em caso de aluguel ou venda, mas também baseado em um tipo objetivo, que é devido às características específicas do edifício.
O estudo está dividido nos seguintes parágrafos:
1. Certificação energética: regulamentos, finalidades e funções
2. Obrigação de fornecer o certificado de desempenho energético
3. A obrigação de anexar o certificado de desempenho energético
4. Obrigação de entregar o certificado de desempenho energético
5. Exclusões da obrigação de fornecer e obrigação de vincular
6. A declaração de recebimento da informação
7. A validade do certificado de desempenho energético
8. Os sujeitos de certificação

APE para novos edifícios

Para edifícios recém-construídos para os quais o Certificado de Desempenho Energético é obrigatório, são aqueles para os quais foi solicitada permissão para construir ou apresentar uma reivindicação para iniciar a atividade, após 8 de outubro de 2005.
É importante sublinhar que a data a considerar é a de pedido do título de qualificação e não o do lançamento.
Estes edifícios devem estar equipados com o APE antes do lançamento do certificado de praticabilidade, para o qual é um pré-requisito e o documento deve ser produzido pelo fabricante.

APE para edifícios renovados

A EPA também é necessária no caso de renovação de um edifício, mas deve ser uma operação de reestruturação importante.
O Notariado esclarece que este termo se refere à manutenção de rotina, manutenção extraordinária, renovação de edifícios, restauração e restauração conservadora, que envolvem pelo menos 25% do envelope global do edifício.
Por conseguinte, a definição não está estritamente ligada à da renovação de edifícios, mas inclui todas as intervenções definidas pelo Decreto-Lei 63/2013 (o chamado Ecobonus).
Pelo contrário, antes, a obrigação, no caso de reestruturação, era apenas para edifícios com mais de mil metros quadrados e para intervenções que diziam respeito a toda a envolvente do edifício ou à demolição e reconstrução.
São intervenções que, a título de exemplo, podem ser usadas para se referir à reconstrução de gessos e pinturas externas, impermeabilizar o telhado ou isolar as paredes, enquanto não são contempladas intervenções em propriedades individuais.
Também neste caso, de acordo com os regulamentos em vigor para novos edifícios, o Certificado deve ser emitido antes do certificado de viabilidade e ser produto cobrado ao fabricante.
Novamente, em analogia com o que está previsto para novos edifícios, mesmo que neste caso não esteja expressamente previsto por lei, o Conselho considera que esta obrigação deve ser desencadeada para grandes obras de renovação, para as quais foi pedida uma licença de construção, ou apresentada. o Relatório de Atividades Certificado, após 8 de outubro de 2005.

APE para edifícios públicos

APE per edifici di nuova costruzione

A obrigação de adoptar o APE está também prevista para os edifícios da administração pública abertos ao área útil total de mais de 500 metros quadrados.
O certificado deve ser preparado até 4 de dezembro de 2013, ou seja, no prazo de 120 dias após a entrada em vigor da lei de conversão do Decreto Ecobonus.
A partir de 9 de julho de 2015, então, o limite de 500 metros quadrados será reduzido para 25 metros quadrados.
No caso de edifícios públicos, o certificado deve ser postado e exposto em um lugar claramente visível para o público.

APE em caso de transferência da propriedade

Lembramos que, em caso de transferência para qualquer título de uma propriedade, o Certificado é obrigatório para tudo edifícios e, portanto, não apenas para aqueles descritos nos parágrafos anteriores.
Notários esclarecem que os edifícios não só devem ser equipados com o Certificado no caso de uma escritura de transferência ou venda preliminar, mas este documento também deve ser invólucro.
No caso de transferência de um edifício que tenha sido previamente transferido com o anexo deste documento, uma nova cópia deve ser anexada, e não é suficiente para lembrar a anterior.



Vídeo: Justiça determina paralisação de obra do prédio em que Geddel tem imóvel