Reforma do condomínio aprovada

Estava esperando há vários anos. Ontem, um pouco 'surpresa, o Senado aprovou mudanças no Código Civil sobre o assunto do condomínio. Pode realmente falar sobre reforma?

Reforma do condomínio aprovada

Condominio

Ontem, 20 de novembro de 2012, a Comiss√£o de Justi√ßa do Senado aprovou o ddl bearing Altera√ß√Ķes √† disciplina do edif√≠cio em edif√≠cios.

Uma data em sua forma hist√≥rica, porque de 1942 at√© hoje, apesar da considera√ß√£o un√Ęnime da necessidade de dar uma m√£o aos artigos do c√≥digo relativo ao condom√≠nio, ningu√©m conseguiu atualiz√°-los.

Claro, ainda não podemos falar sobre a lei do condomínio porque falta a promulgação do Chefe de Estado e a publicação no Jornal Oficial, mas estamos nas formalidades finais.

Reforma entre oportunidade e oportunidade perdida

Como todas as coisas humanas mesmo esta lei poderia ser melhor; a certeza é que essa não é nossa opinião, mas a convicção dos próprios senadores que a aprovaram.

O relator da disposição, o Senador MugnaiOntem, na Comissão, ele explicou claramente que o texto que estava prestes a ser aprovado não era o melhor possível, mas que não havia mais tempo para mais mudanças.

Sobre os méritos do projeto de lei, observa como se diferencia em alguns aspectos (alguns não irrelevantes) da medida de primeira leitura pelo Senado.

No que diz respeito √†s altera√ß√Ķes, ele observa como elas visam em grande parte restaurar o texto aprovado por este ramo do Parlamento, reintroduzindo algumas normas de qualifica√ß√£o que estabelecem uma disciplina que em alguns aspectos √© prefer√≠vel √† referida na disposi√ß√£o em quest√£o.

No entanto, a iminente conclus√£o do legislativo e a dificuldade de obter, devido aos tempos limitados, uma dupla delibera√ß√£o em conformidade do outro ramo do Parlamento sobre as partes eventualmente modificadas, levam-nos a considerar prefer√≠vel uma aprova√ß√£o sem modifica√ß√Ķes.

Por estas raz√Ķes, convida os oradores a retirar as altera√ß√Ķes apresentadas, submetendo-as √† Comiss√£o em qualquer caso. Por fim, anuncia que, por raz√Ķes de coer√™ncia, n√£o participar√° na vota√ß√£o final da disposi√ß√£o..

estes as palavras que introduziram o exame da conta.

muitos outros colegas de Mugnai eles queriam expressar distinção e abster-se de alguns artigos.

Assim, por exemplo, o outro orador, Galiperti, disse para compartilhar o temor de que o próximo fim da legislatura possa colocar em risco a aprovação definitiva do projeto de lei, que traz mudanças significativas aos regulamentos do condomínio contidos no código civil que, em muitos aspectos, são agora obsoletos. Embora considere preferível em geral a disciplina contida no texto deferido pelo Senado, espera aprovação sem alteração da disposição, por isso está associada ao pedido de retirada das emendas e anuncia, a título subsidiário, sua opinião contrária.

Mudanças e não reforma

Condominio2

Inserindo o mérito do texto demitido pelo Senado, a primeira coisa a dizer é que mais do que uma reforma, no sentido próprio do termo, é uma atualização do código civil, justamente as mudanças na disciplina do condomínio.

O Legislativo saiu algumas quest√Ķes fundamentais n√£o est√£o resolvidas (ver o status legal do condom√≠nio) e em muitos casos limitou-se a incorporar o que era a orienta√ß√£o jurisprudencial at√© ent√£o prevalente.

Um exemplo acima de tudo dessa afirmação está no novo texto da arte. 1118 c.c. que legitima a separação do sistema de aquecimento central sem o consentimento da assembléia, desde que não leve a desequilíbrios operacionais ou aumento de despesas para os outros condomínios.

eles são especificar melhor as partes comuns e o campo de aplicação das regras do condomínio se estende aos chamados condomínios horizontais (casas geminadas a serem compreendidas) e aos supercondomínios.

Reorganização dos deveres do administrador

As atribui√ß√Ķes do administrador ser√£o melhor detalhado.

o primeiro parágrafo do art. 1130 passa de 4 pontos para 11; o segundo parágrafo desaparece e é melhor especificado na nova numeração.

Devolu√ß√Ķes obrigat√≥rias i deveres do administrador no campo fiscal; √© imposto a si mesmo apresentar o relat√≥rio gest√£o, respeitando determinadas formas de clareza e transpar√™ncia (artigo 1130-bis do C√≥digo Civil, introduzido ex novo), no 180 dias a partir do final do ano de gest√£o.

especificada os poderes do administrador (e condom√≠nios individuais) sobre as viola√ß√Ķes do uso das partes comuns (Artigo 1117-quater c.c.).

Está estabelecido a obrigação de formação contínua para o administrador e, ainda que suavemente, são introduzidos requisitos de acesso à profissão (por exemplo, gozo de direitos civis, participação de um curso, ver novo artigo 71-bis artigo citado acima)

A reforma e a assembléia

Novas regras foram escritas para o convoca√ß√£o da assembl√©ia (especificava claramente os sistemas de convoca√ß√£o, por exemplo, pec, fax, Racc.ar, novo artigo 66 artigo cc) e um regulamento particular foi fornecido para as reuni√Ķes relativas √† modifica√ß√£o do uso pretendido de uma parte comum (Artigo 1117-ter do C√≥digo Civil)

Regulamentos de condomínios e animais

Condominio3

Um aceno, finalmente, sobre as novas regras em animal.

As regras do regulamento não podem proibir a posse ou manutenção de animais de estimação.

Este ser√° o novo quinto par√°grafo do art. 1138 c.c.

o Senador Giovanardi obteve aprovação da seguinte ordem do dia:

como a proibi√ß√£o em quest√£o n√£o diz respeito aos chamados regulamentos contratuais que s√£o aprovados por todos os condom√≠nios com a ades√£o aos regulamentos formulados pelo fabricante antes do estabelecimento do condom√≠nio, ou com uma resolu√ß√£o un√Ęnime da assembl√©ia, porque a disposi√ß√£o √© colocada dentro do artigo que regula o regulamento do condom√≠nio.

Esta f√≥rmula de compromisso √© de fundamental import√Ęncia, pois permite, por um lado, respeitar a sensibilidade dos amantes dos animais e, por outro lado, em conson√Ęncia com os princ√≠pios de autonomia contratual (artigo 1322 do C√≥digo Civil), permite que os condom√≠nios deliberem. unanimidade dos direitos dominantes que lhes s√£o devidos em rela√ß√£o ao estado dos lugares.

No tocante √† efetividade perante terceiros, deve-se lembrar que a real natureza das limita√ß√Ķes convencionais de propriedade no condom√≠nio determina sua aplicabilidade aos compradores, em particular das unidades imobili√°rias, desde que essas limita√ß√Ķes sejam transcritas no Conservat√≥rio dos registros imobili√°rios. 2643 do C√≥digo Civil italiano, e isso ocorre quando o regulamento √© transcrito, ou quando a escritura de compra √© inserida, indicando precisamente as restri√ß√Ķes a que o ativo que est√° sendo vendido est√° sujeito. Na aus√™ncia de transcri√ß√£o, as restri√ß√Ķes ser√£o aplic√°veis ‚Äč‚Äčsomente quando o comprador as aceitar expressamente.

Coloque isso a agenda √© indicativa da especifica√ß√£o de uma vontade do legislador, deve ser levado em conta ao aplicar a lei; em nossa opini√£oNo entanto, haver√° ocasi√Ķes para contrastar a aplicabilidade real dessa regra.



Vídeo: A influência da reforma trabalhista em condomínios