O administrador da comunh√£o

Na prática diária, se não para as maiores dificuldades práticas devido à gestão, é comum abordar e analisar problemas

O administrador da comunh√£o

Amministratore della comunione

Na pr√°tica cotidiana, se n√£o pelas maiores dificuldades pr√°ticas devido √† gest√£o, √© comum enfrentar e analisar os problemas relativos √† administra√ß√£o do condom√≠nio e o papel assumido neste contexto pela pessoa chamada a fornec√™-lo, ou seja, o administrador. Ao lado do condom√≠nio h√° a comunh√£o entendida como direito de propriedade de v√°rios sujeitos no mesmo bem.Quando se trata de comunh√£o, o pensamento, quase automaticamente, vai para a casa conjugal em comunh√£o de bens entre c√īnjuges ou para o apartamento recebido como legado pelas crian√ßas ap√≥s a morte do propriet√°rio da m√£e. o pr√©dio em comunh√£o, assim como o pr√©dio em condom√≠nio, requer interven√ß√Ķes de manuten√ß√£o para o prop√≥sito de sua melhor conserva√ß√£o. A lei, ao contr√°rio dos chamados grandes condom√≠nios, ou as equipes com mais de quatro co-propriet√°rios, para quem √© necess√°rio ter um administrador, n√£o fornece a natureza obrigat√≥ria dessa figura para a comunh√£oNa realidade, ler bem o normas dedicadas √† comunh√£o em geral, o c√≥digo civil al segundo par√°grafo do art. 1106 fornece laconicamente que:[?] | a administra√ß√£o pode ser delegada a um ou mais participantes, ou mesmo a um estranho, determinando os poderes e obriga√ß√Ķes do administrador.o maiorias para se referir para chegar √† nomea√ß√£o do administrador da comunh√£o s√£o aqueles indicados porart. 1105 c.c.Este padr√£o composto por quatro par√°grafos especificamente dedicados √† administra√ß√£o da coisa comum, l√™-se:

Amministratore della comunione

Todos os participantes têm o direito de competir na administração do comum.
Para procedimentos administrativos ordin√°rios, as delibera√ß√Ķes da maioria dos participantes, calculadas de acordo com o valor de suas a√ß√Ķes, s√£o obrigat√≥rias para a minoria dissidente.Para a validade das resolu√ß√Ķes da maioria √© necess√°rio que todos os participantes tenham sido previamente informados sobre o objeto da delibera√ß√£o.Se as medidas necess√°rias para a administra√ß√£o da coisa comum n√£o forem tomadas ou a maioria n√£o for formada, ou se a decis√£o adotada n√£o for executada, cada participante poder√° recorrer √† autoridade judicial. Isso fornece conselhos na sala e tamb√©m pode indicar um administrador. Ao contr√°rio do condom√≠nio, neste caso, as maiorias na comunh√£o para a nomea√ß√£o do administrador eles s√£o calculados apenas para cotas e n√£o tamb√©m para cabe√ßasNo condom√≠nio, recorde-se que para a nomea√ß√£o do diretor, √© necess√°ria a maioria dos votos dos presentes na reuni√£o que representa pelo menos a metade do valor do edif√≠cio (art. 1136, segundo e quarto par√°grafos, c.c.) Exceto no caso em que as escrituras de compra especificar o valor das a√ß√Ķes, no entanto, considerando e considerando que a lei faz presumir a igualdade (artigo 1101, primeiro par√°grafo, c.c.), N√£o √© errado afirmar que, no sil√™ncio do t√≠tulo, a maioria das cotas e dos chefes coincidir√° portanto, em tais casos, a nomea√ß√£o do diretor ser√° v√°lida se o voto favor√°vel da maioria dos comunistas for relatado (isto √© o que os propriet√°rios de uma parte da propriedade s√£o chamados) Ao contr√°rio do administrador do edif√≠cio, aquele da comunh√£o ele n√£o tem deveres atribu√≠dos a ele ex legeIsto significa, portanto, que, conforme expressamente especificado pelo acima mencionado segundo par√°grafo do art. 1106 c.c. ser√° a assembl√©ia de comunh√£o que tem que lhe mostrar tarefas e, portanto, reconhecer os poderes correspondentes nomea√ß√£o judicialfinalmente, s√≥ √© permitido, se necess√°rio, realizar atos administrativos que de outra forma n√£o poderiam ser realizados (art. 1105, quarto par√°grafo, c.) e n√£o tamb√©m para o condom√≠nio em caso de falta de nomea√ß√£o pela assembl√©ia.



V√≠deo: ??CANTOS PARA MISSA - CANTO DE COMUNH√ÉO - PELOS PRADOS E CAMPINAS - TU √ČS SENHOR, O MEU PASTOR??