Causas de administrador e condomínio

O administrador do condomínio que é processado por uma causa que excede suas habilidades, se ele não puder convocar uma reunião a tempo de decidir o que fazer

Causas de administrador e condomínio

amministratore

O administrador do condom√≠nio que vem processado por uma causa que vai al√©m de seus poderes se n√£o puder convocar uma assembl√©ia a tempo de decidir o que fazer, ela tamb√©m pode ser constitu√≠da sem a autoriza√ß√£o pr√©via da Assembl√©ia, com o √ļnico prop√≥sito de evitar incorrer nas v√°rias decad√™ncias, mas sua legitimidade para permanecer em ju√≠zo termina aqui. de modo que, para continuar, √© necess√°rioAutoriza√ß√£o de Acionistas que tamb√©m pode ser solicitado pelo juiz durante a primeira audi√™ncia Se√ß√Ķes Unidas do Supremo Tribunal de Cassa√ß√£o, com a pron√ļncia n. 18331 de 6 de agosto de 2010, interveio afirmando que interpretativa contrastante em rela√ß√£o √† legitima√ß√£o passiva para ficar no julgamento do administrador do condom√≠nio. O n√≥ a ser dissolvido girava em torno do interpreta√ß√£o correta a ser dada ao art. 1131 c.cEm particular, de acordo com o segundo par√°grafo desta regra, o agente dos copropriet√°rios, pode ser processado por qualquer a√ß√£o relativa √†s partes comuns do edif√≠cio; ele √© notificado das disposi√ß√Ķes da autoridade administrativa referentes ao mesmo objeto (art. 1131, segundo par√°grafo, c.) O que sempre foi incerto √© at√© que ponto ele se estende legitimidade para permanecer em ju√≠zoEm subst√Ęncia, algu√©m se pergunta: o administrador pode resistir √†s afirma√ß√Ķes de outras pessoas sempre e em qualquer caso, e, portanto, tamb√©m em assuntos que est√£o fora de suas compet√™ncias ou para os √ļltimos. tirar uma legitimidade de uma resolu√ß√£o de reuni√£o? Duas diretrizes interpretativasnaturalmente conflitante:

amministratore

a) o que majorit√°ria dizer que o administrador tem o direito de ser julgado sem a necessidade da autoriza√ß√£o da assembl√©ia. o segundo par√°grafo acima mencionado.Nenhum limite para o administrador, portanto, mas apenas uma obriga√ß√£o de informar a assembl√©ia de mera relev√Ęncia interna que, se n√£o observada, pode levar √† sua revoga√ß√£o judicial.de acordo com a orienta√ß√£o minorit√°riaem vez disso, a norma em quest√£o (a segundo par√°grafo do art. 1131 c.c.) tem a √ļnica fun√ß√£o de permitir que a contraparte do condom√≠nio notificar o acto introdut√≥rio do ac√≥rd√£o mais facilmente, identificando no administrador a pessoa com direito a receb√™-lo legitimidade para permanecer em ju√≠zo deste √ļltimo, n√£o foi autom√°tico, de modo que o agente, em quest√Ķes subtraindo-se de sua jurisdi√ß√£o, teve que retir√°-lo de uma resolu√ß√£o de acionistas.As Se√ß√Ķes Unidascomo mencionado no in√≠cio, eles deram uma solu√ß√£o muito mais pr√≥xima de acordo com a orienta√ß√£o.o princ√≠pio do direito expressa pelo Tribunal de Regula√ß√£o √© a seguinte: o administrador do condom√≠nio, com base no disposto no art. 1131 do C√≥digo Civil italiano, par√°grafo 2 e 3, tamb√©m podem comparecer em ju√≠zo e apelar para a senten√ßa desfavor√°vel sem autoriza√ß√£o pr√©via da reuni√£o, mas deve, neste caso, obter a necess√°ria ratifica√ß√£o de seu trabalho pela assembl√©ia para evitar inadmissibilidade da escritura de incorpora√ß√£o ou de recurso (Tribunal de Cassa√ß√£o, 6 de agosto de 2010 n. 18331)A disputa em quest√£o o recurso proposto pelo administrador contra uma senten√ßa contra o condom√≠nio, sem a necess√°ria autoriza√ß√£o da reuni√£o.O que foi dito pela Cassa√ß√£o, tendo em conta e considerando que o lit√≠gio surgiu de um processo movido contra o edif√≠cio, tem um significado geral, ou seja, refere-se a todas aquelas situa√ß√Ķes em que o condom√≠nio √© uma parte acordada.



Vídeo: Cambio de administrador por parte de la asamblea de propietarios